AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE COCO OBTIDA POR DIFERENTES MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, RONDÔNIA.

  • Jamile Mariano Macedo Instituto Federal de Rondônia
  • Nicolas William Silva Gomes Instituto Federal de Rondônia
  • Nilton Fagner Oliveira Araújo Instituto Federal de Rondônia

Resumo

O seguinte trabalho realizou um estudo acerca das análises microbiológicas realizadas em cinco amostras de água de coco coletadas na cidade de Porto Velho. As amostras foram coletadas em três pontos de vendedores ambulantes, sendo uma engarrafada, a segunda no fruto sem cortes e a terceira no fruto com corte; e outras duas pasteurizadas em supermercado da cidade. Foi retirada uma alíquota de cada amostra e estas foram analisadas por meio da técnica da Membrana filtrante, utilizando Chromocult (Merk). Após o período de incubação, a amostras apresentaram os seguintes resultados: ausência de coliformes nas amostras de marcas 1 e 2 pelo fato de serem produtos processados através de esterilização; contagem de 36 Unidades Formadoras de Colônias (UFC)/mL na amostra do ponto 1 e apenas 2 UFC/mL de Escherichia coli; negativo tanto para coliformes fecais quanto para E. coli na amostra do ponto 2, pois á água foi retirada de maneira séptica; no ponto 3, as amostras foram as mais contaminadas com valores de aproximadamente 43 UFC/mL. Os resultados evidenciaram a importância do conhecimento sobre práticas de assepsia e boas práticas no manuseio de alimentos, evitando assim contaminação.

Biografia do Autor

Jamile Mariano Macedo, Instituto Federal de Rondônia
Licenciada em Química, desde 2008, pela Universidade Federal de Rondônia. Desde 2005 atua na área de pesquisa, com trabalhos na área de monitoramento ambiental, considerando análises de águas contaminadas por hidrocarbonetos. Atualmente é mestranda em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente e doutoranda em Química dos Produtos Naturais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Nicolas William Silva Gomes, Instituto Federal de Rondônia
Discente do Curso Técnico em Química, IFRO
Nilton Fagner Oliveira Araújo, Instituto Federal de Rondônia
Químico formado pela Universidade Federal de Rondônia, mestrando no IPEN.

Referências

COSTA, L.M.C.; MAIA, G.A.; COSTA, J.M.C.; FIGUEIREDO, R.W.; SOUSA, P.H.M. Avaliação de água-de-coco obtida por diferentes métodos de conservação. Ciênc. agrotec. vol.29 no.6 Lavras Nov./Dec. 2005.

SEREJO, M.T.T.; NEVES, M.A.; BRITO, N.M. Qualidade microbiológica de água de coco (cocos nucifera) comercializada por ambulante na cidade de São Luís – MA. V CONNEPI – 2010.

SOARES, G.L. Aproveitamento da polpa de coco verde submetida ao congelamento rápido e lento. Dissertação de mestrado. Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho, Botucatu, 2014.

BRASIL. Instrução Normativa n. 27, de 22 de Julho de 2009. Estabelece os procedimentos mínimos de controle higiênico-sanitário, padrões de identidade e características mínimas de qualidade gerais para a água de coco.

IMAIZUMI V.M. Análise isotópica, físico-química, centesimal e energética de água de coco. Dissertação de mestrado. Universidade Estadual Paulista, Botucatu, 2015.

FORTUNA, D.B.S.; FORTUNA, J.L. Avaliação da qualidade microbiológica da água de coco comercializada em carrinhos ambulantes nos logradouros do município de Teixeira de Freitas (BA). Revista baiana de saúde pública. v.32, n.2, p.203-217 maio/ago, 2008.

RIOS S, A.; SOBRINHO, S.R. Segurança alimentar da água de coco verde: estudo comparativo do produtor e vendedor. 4th International Congress on University-Industry Cooperation – Taubate, SP , 2012.

CASTRO, C.R.C.; COELHO, A.F.S. Pesquisa de microrganismos indicadores de condições higiênico sanitárias em água de coco. 9º Seminário de Iniciação Científica da UFT, v. 5, 2013.

FRANCO, B. D. G. M.; LANDGRAF, M. Microbiologia dos Alimentos. São Paulo: Atheneu, 2003. 182 p.

MAGALHÃES et al. Bactérias resistentes a antimicrobianos em amostras de água de coco comercializada em Itabuna, Bahia. Revista Baiana de Saúde Pública. v.36, n.3, p.751-763, jul./set. 2012.

DIAS, F.M.; FIGUEIREDO, R.M.; SOUZA, J.R.; SANTANA, C.M.P. Qualidade microbiológica da água de coco comercializada em carrinhos ambulantes, na região central do município de Vitória da Conquista, BA. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.17, n.1, p.97-103, 2015.

ERNANDES, I. L.; MOURA, L. S.; SILVA, R. C.; SANTOS, G. A.; SOUSA, A. R.; COSTA, O. S.; OLIVEIRA, S.B. Comparação das características físico-químicas da água de coco verde natural e industrializada.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) nº. 12, de 02 de janeiro de 2001. Regulamento técnico quedispõe sobre Padrões Microbiológicos sanitários para Alimentos. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução RDC n° 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre o regulamento técnico de boas práticas para serviços de alimentação. Brasília, 2004. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/ res0216_15_09_2004. html>. Acesso em: 21 dez. 2015.

LANDGRAF, M. Microrganismos Indicadores. In: FRANCO, B. D G. M.; LANDGRAF, M. Microbiologia dos alimentos, São Paulo: Atheneu, 1996. cap. 3, p. 27-31.

SOUSA, C.P. Segurança alimentar e doenças veiculadas por alimentos: utilização do grupo coliforme como um dos indicadores de qualidade de alimentos. Revista APS, v.9, n.1, p. 83-88, jan./jun. 2006.

Publicado
2016-03-21
Como Citar
Macedo, J. M., Gomes, N. W. S., & Oliveira Araújo, N. F. (2016). AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE COCO OBTIDA POR DIFERENTES MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, RONDÔNIA. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 2(2). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/439

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##