Percepção da qualidade de vida no trabalho de técnicos administrativos da Universidade Federal do Acre

  • jeane Maria Moura Costa Universidade Federal do Acre
  • Bezerra, JA Universidade Federal do Acre
  • Miguel Junior Sordi Bortolini Universidade Federal do Acre
  • Luis Eduardo Maggi Universidade Federal do Acre
  • Romeu Paulo Martins Silva Universidade Federal de Goiás, Catalão, GO
Palavras-chave: Qualidade de vida no trabalho, Técnico-administrativo, Ensino Superior.

Resumo

As preocupações e os processos para melhorar, facilitar ou mesmo trazer satisfação e bem estar ao trabalhador já existem desde a origem do homem. O capital humano de uma instituição pública é parte essencial do processo de gestão e deve-se, portanto, valorizar o servidor e proporcionar oportunidade de desenvolvimento de suas potencialidades para manter seus profissionais motivados, capacitados e saudáveis. Pelo fato de o servidor administrativo de uma instituição de ensino superior ter contato direto com os cidadãos, este desempenha assim um papel muito importante na imagem que o público tem da qualidade dos serviços oferecidos. O presente estudo teve por objetivo avaliar a percepção da qualidade de vida no trabalho dos servidores técnico administrativo da Universidade Federal do Acre. Pesquisa descritiva, quantitativa de corte transversal, com 258 técnicos administrativos efetivos da Universidade Federal do Acre, no período de janeiro a abril de 2017. Foi utilizado o questionário Total Quality of Work Life – TQWL-42, para mensurar a qualidade de vida no trabalho dos servidores. A análise dos dados quantitativos foi realizada por meio de estatística descritiva com o software SPSS versão 22.0, os valores foram calculados por meio da média aritmética e apresentados em um gráfico. Para verificar a normalidade dos dados foi aplicado o teste de Shapiro-Wilk e ANOVA para analisar a QVT relacionada a gênero, tempo de serviço e carga horária semanal, o nível de significância admitido foi de 0,05. Em uma escala centesimal, os resultados retornados pelo TQWL-42 e demonstrados através de porcentagem, foram: Econômico e político (61,77%), Sociológico e Relacional (63,12%), Biológico e Fisiológico (63,48%), Ambiental e Organizacional (63,71%) Psicológico e Comportamental (70,55%), e o escore geral de todas as esferas foi (64,76%), demonstrando que os servidores se sentem satisfeitos com sua QVT. Não houve associação significativa entre sexo, tempo de serviço carga horária semanal e QVT. Os resultados apresentados apontam que os técnicos administrativos da UFAC se encontram satisfeitos com a qualidade de vida no trabalho e que sexo, tempo de serviço ou carga horária semanal não tem relação com a sua percepção de QVT.

Biografia do Autor

Bezerra, JA, Universidade Federal do Acre

Doutor em Ciências do Desporto, FADEUP - PT (2014). Mestre em Ciência da Motricidade Humana, UCB/RJ (2008). Graduado em Educação Física, Universidade Federal do Acre (1999). 

Miguel Junior Sordi Bortolini, Universidade Federal do Acre

Doutorado em Imunologia e Parasitologia Aplicadas pela Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil. Mestrado em Genética e Bioquímica pela
Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil. Graduado em Educação física pela Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil.

Luis Eduardo Maggi, Universidade Federal do Acre

Possui graduação em Ciências Biológicas Modalidade Medica pela Universidade Federal de Goiás (1995), Mestrado em Engenharia Biomédica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999), doutorado em Engenharia Biomédica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011) e Pós-doutorado na Undelar (Uruguai) e Universidade de Ottawa (Canada).

Romeu Paulo Martins Silva, Universidade Federal de Goiás, Catalão, GO

Possui graduação em Educação Física pelo Centro Universitário do Triângulo (2003). Especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Veiga de Almeida, UVA/RJ (2003/2005). Mestre em Genética e Bioquímica pela Universidade Federal de Uberlândia (2007). Doutor em Genética e Bioquímica (2011).

Referências

[1] RODRIGUES, M.V.C. Qualidade de vida no trabalho: evolução e análise no nível gerencial. Petrópolis-RJ: Vozes; 2002.
[2] PEDROSO, B. Desenvolvimento do TQWL-42: um instrumento de avaliação de qualidade de vida no trabalho [Dissertação Engenharia de Produção]. Ponta Grossa-PR: Universidade Tecnológica Federal do Paraná; 2010.
[3] DAMASCENO, T.N.F; ALEXANDRE, J.W.C. A qualidade de vida no trabalho no âmbito do serviço público: conceitos e análises. Revista Científica da Faculdade Darcy Ribeiro. 2012; 003:39-49.
[4] OLIVEIRA, P.P.T.D.; MINETTI, L.J.; OLIVEIRA, L.N.D. Qualidade de Vida no Trabalho: Um Enfoque no Profissional de Secretariado Executivo de Uma Instituição Federal de Ensino Superior. Revista de Gestão e Secretariado. jul./dez 2012;3(2):87-105.
[5] GIL, A.C. Gestão de Pessoas. São Paulo: Atlas; 2006.
[6] CHIAVENATO, I. Gestão de pessoas: e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 2ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2004.
[7] LIMONGI-FRANÇA, A.C. Qualidade de vida no trabalho: conceitos e práticas na sociedade pós-industrial. São Paulo: Atlas; 2004.
[8] BARROS, M.G.D.P. Qualidade de vida no trabalho. Estudo de caso: Enapor [Licenciatura em Psicologia]. Porto da Praia - Cabo verde: Universidade Jean Piaget de Cabo Verde; 2013.
[9] DIAS, E.C.; SILVA, T.L.E.; MACHADO, J.M, AMORIM, L.D.A. Diretrizes para o desenvolvimento de ações de Vigilância em Saúde do Trabalhador pelas equipes da Atenção Básica/Saúde da Família. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Medicina. Departamento de Medicina Preventiva e Social. Área Saúde & Trabalho; 2016.
[10] FERREIRA, M.C.; ALVES, L.; TOSTES, N. Gestão de Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) no serviço público federal: o descompasso entre problemas e práticas gerenciais. Psicologia: Teoria e Pesquisa. 2009;25:319-27.
[11] COSTA, M.D.A. Qualidade de vida no trabalho: um estudo entre técnicos administrativos de duas instituições federais de ensino [Dissertação - Administração]. Salvador/BA: Universidade Federal da Bahia - Escola de Administração; 2016.
[12] BRASIL. Decreto nº 6.833 de 29 de abril de 2009 - Institui o Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor Público Federal - SIASS e o Comitê Gestor de Atenção à Saúde do Servidor, (2009).
[13] MINISTÉRIO DA SAÚDE (Brasil). Portaria nº 1.823 de 23 de agosto de 2012. Institui a política nacional de saúde do trabalhador e trabalhadora, (2012).
[14] CAVASSANI, A.P.; CAVASSANI, E.B.; BIAZIN, C.C. Qualidade de vida no trabalho: fatores que influenciam as organizações. XIII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção [Internet]. 2006 Acesso em: 7 de novembro de 2017. Available from: http://www.simpep.feb.unesp.br/anais_simpep_aux.php?e=13.
[15] AMORIM, T.G.F.N. Qualidade de vida no trabalho: preocupação também para servidores públicos? . Revista Eletrônica de Ciência Administrativa. 2010;9(1):35-48.
[16] BARBETA, P.A. Estatística Aplicada as Ciências Sociais. Florianópolis: Editora da Universidade Federal de Santa Catarina; 2002.
[17] FREITAS, A.L.P.; RODRIGUES, S.G. A avaliação da confiabilidade de questionários: uma análise utilizando o coeficiente alfa de Cronbach. XII SIMPEP - Simpósio de Engenharia de Produção [Internet]. 2005 Acesso em: 7 de novembro de 2017. Available from: http://www.simpep.feb.unesp.br/anais_simpep_aux.php?e=12.
[18] PEDROSO, B.; PILATTI, L.A. Guia de avaliação da qualidade de vida no trabalho. Ponta Grossa: Editora da Universidade Estadual de Ponta Grossa; 2012.
[19] TIMOSSI, L.D.S.; PEDROSO, B.; PILATTI, L.A.; FRANCISCO, A.C.D. Adaptação de modelo de Walton para avaliação da qualidade de vida no trabalho. Revista da Educação Física. 2009;20(3):395-405.
[20] MANSANO, W.M.S. Qualidade de vida no trabalho de servidores públicos técnicos administrativos das pró-reitorias de uma instituição de ensino superior. [Dissertação - Administração Pública]. Campo Grande/MS: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; 2015.
[21] LIMA, A.V.D.Q. Qualidade de vida no trabalho e valores organizacionais: a percepção dos técnicos - administrativos de uma instituição Federal de ensino superior [Dissertação - Administração]. Santa Maria/RS: Universidade Federal de Santa Maria; 2014.
[22] SILVA, U.L.D.; OLIVEIRA, Á.D.F. Qualidade de Vida e Valores nas Organizações: Impactos na Confiança do Empregado. Psicologia: Ciência e Profissão. 2017;37:7-17.
[23] KAUSS, L.F. A estabilidade funcional e a eficiência no serviço público. Revista Jus Navigandi [Internet]. 2011 14 de novembro de 2017. Available from: https://jus.com.br/artigos/20389.
[24] DIAS, A.C.B. Qualidade de Vida no Trabalho de Docentes de Fisioterapia no Município de Goiânia [Dissertação - Ciências da Saúde]. Goiânia: Universidade Federal de Goiás; 2015.
[25] PINTO, G.M.C.; PEDROSO, B.; PILATTI, L.A. Qualidade de vida e qualidade de vida no trabalho de servidores públicos do setor administrativo de uma instituição de ensino superior do Paraná. Revista Brasileira de Qualidade de Vida. julho-setembro 2014;6(3).
[26] GÓES, M.B.D.B. Qualidade de vida no trabalho e comprometimento organizacional no serviço público: um estudo com os servidores técnico-administrativos do centro acadêmico do agreste da UFPE [Dissertação - Gestão Pública]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2016.
[27] UFAC. UFAC em números. Rio Branco/AC: Universidade Federal do Acre - Pro-Reitoria de Planejamento/PROPLAN; 2017.
[28] PILATTI, L.A. Qualidade de vida no trabalho e teoria dos dois fatores de Herzberg: possibilidades-limite das organizações. Revista Brasileira de Qualidade de Vida. 2012;4(1):18-24.
[29] LOPES, E. C. S.; SETA, M. H. D. Qualidade de Vida no Trabalho segundo os servidores públicos de um centro de pesquisas. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, n.39, p.59-68, abril de 2019.
[30] CARNEIRO, T.L.; FERREIRA, M.C. Redução de jornada melhora a qualidade de vida no trabalho? A experiência de uma organização pública brasileira. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho [Internet]. 2007 Acesso em: 01 de dezembro de 2017; 7(1):[131-57 pp.]. Available from: http://pepsic.homolog.bvsalud.org/pdf/rpot/v7n1/v7n1a07.pdf .
[31] GARCIA, I.M. Qualidade de Vida no Trabalho segundo a percepção dos técnicos administrativos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. Organizações em Contexto. julho-dezembro 2017;13(26).
Publicado
2020-01-22
Como Citar
Maria Moura Costa, jeane, de Andrade Bezerra, J., Junior Sordi Bortolini, M., Eduardo Maggi, L., & Paulo Martins Silva, R. (2020). Percepção da qualidade de vida no trabalho de técnicos administrativos da Universidade Federal do Acre. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 6(2), 425-438. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/2981
Seção
Artigos Originais Ciências da Saúde