COBERTURA DE GUERRA E RELAÇÕES DE GÊNERO: UMA ANÁLISE DE CONTEÚDO EM A PRIVATE WAR

  • Bruna Emy Camargo Universidade de Sorocaba
  • Monica Martinez Universidade de Sorocaba
Palavras-chave: Jornalismo literário; Cobertura de guerra; Relações de gênero; Análise de conteúdo; A private war.

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo contribuir para a compreensão da cobertura de guerra no contexto do Jornalismo Literário e das relações de gênero, utilizando como objeto o filme A private war. Após realizar estado da arte sobre cobertura de guerra, abordamos a questão da mulher correspondente. Em seguida, utilizamos o método da análise de conteúdo (BARDIN, 2011) para estudar cinco categorias: a) coberturas de guerra; b) relação com os homens; c) relação com as mulheres; d) condição feminina; e e) guerras pessoais. Os resultados sugerem que a jornalista Marie Colvin é representada como uma mulher corajosa, profissional, instintiva e transgressora. Em seus relacionamentos há parcerias amorosas e profissionais, amizades, mentorias e competitividade. São exibidos elementos que exaltam sua identidade feminina e seus conflitos pessoais.

Biografia do Autor

Monica Martinez, Universidade de Sorocaba

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Docente do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (PPGCOM-Uniso) e líder do Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas (Nami/Uniso/CNPq).

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.
BRENNER, Marie. Marie Colvin’s private war. Vanity Fair, 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2019.
CORREA, Vitor de Abreu. Os diários de Taunay e Euclides da Cunha: um estudo sobre o início da correspondência de guerra no Brasil. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade de Brasília. Brasília, 167p. 2012. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/10354/1/2012_VitorAbreuCorrea.pdf. Acesso em: 7 abr. 2019.
CUNHA, Maria Jandyra Cavalcanti. Diário com sangue: ação e reflexão em narrativas jornalísticas de guerra. In: LABORDE, Elga P.; ORTIZ ALVAREZ, Maria Luisa. (Eds.). Dimensão temporal e espacial na linguagem e na cultura latino-americana. Campinas: Pontes, 2013. p. 399–413.
GARZA, Alejandro de la. The True Story Behind the Movie A Private War. Time, 5 nov. 2018. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2019.
GLASS, Charles. Marie Colvin dedicated her extraordinary life to describing “what really happens in wars”. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2019.
HEINEMAN, Matthew. A private war. Reino Unido, Aviron Pictures, 1h50, 2018.
KNIGHTELY, Phillip. A primeira vítima: o correspondente de guerra como herói, propagandista e fabricante de mitos, da Crimeia ao Vietnã. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978.
LOBO, Júlio César. Mulheres, cinema e história: Retratos de Guerra e Hemingway & Martha. História Revista, v. 23, n. 1, p. 63–81, 2018. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2019.
LOMBARDI, Kátia Hallak. Lee Miller, uma fotojornalista na linha de frente: reflexões sobre a atuação da mulher na cobertura de guerra. Revista Observatório, v. 4, n. 1, p. 492–516, 2018. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2019.
MARTINEZ, Monica; SILVA, Paulo Celso da. Imagens de arquivo e narrativas contemporâneas em Hemingway & Gellhorn: quando o real e a ilusão se fundem. Doc On-Line: revista digital de cinema documentario, v. 13, p. 172–207, 2012.
RYZIK, Melena. Heroínas esquecidas de Hollywood: correspondentes de guerra. Estado de S. Paulo, 2 nov. 2018. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2019.
TOMÉ, Bruno. A Private War | Rosamund Pike ficou tão emocionada com papel que quase desistiu do filme. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2019.
Publicado
2019-11-15
Como Citar
Camargo, B. E., & Martinez, M. (2019). COBERTURA DE GUERRA E RELAÇÕES DE GÊNERO: UMA ANÁLISE DE CONTEÚDO EM A PRIVATE WAR. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), 8(2). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/2872
Seção
Artigos