INCOMENSURABILIDADE SEMÂNTICA E MUDANÇA DE MUNDO EM THOMAS KUHN: APONTAMENTOS INICIAIS PARA UM PROJETO DE PESQUISA

  • Fabrício Lopes da Silveira Pós-Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Palavras-chave: A Estrutura das Revoluções Científicas; Thomas Kuhn; incomensurabilidade semântica; mudança de mundo.

Resumo

O artigo revisita aspectos centrais da obra clássica de Thomas Kuhn, A Estrutura das Revoluções Científicas (KUHN, 1989). Destaca, principalmente, as noções de “incomensurabilidade semântica” e “mudança de mundo”. O texto se inscreve no âmbito de um projeto de pós-doutorado em curso junto ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRGS, no qual nos dedicamos à experimentação narrativa e ao emprego da ficção como método no interior do campo teórico da arqueologia das mídias. O artigo é também uma tentativa de examinar certos fundamentos do debate epistemológico contemporâneo, para podermos, a partir daí, avançar nas proposições e nos exercícios pontuais de nossa investigação. Pretende-se ainda sistematizar conhecimentos que possam fomentar a cultura epistemológica da área da Comunicação.

Biografia do Autor

Fabrício Lopes da Silveira, Pós-Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Jornalista. Mestre e Doutor em Ciências da Comunicação. Vinculado hoje, como pós-doutorando, ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Publicado
2019-10-24
Como Citar
Lopes da Silveira, F. (2019). INCOMENSURABILIDADE SEMÂNTICA E MUDANÇA DE MUNDO EM THOMAS KUHN: APONTAMENTOS INICIAIS PARA UM PROJETO DE PESQUISA. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), 8(2). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/2842
Seção
Artigos