A INVENÇÃO DAQUELE QUE INVENTARIA O CURTA-METRAGEM: BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE O CINEMA DO JOVEM ALAIN RESNAIS

  • Daniel Velasco Leão UDESC, doutorando em Artes Visuais

Resumo

Este artigo busca refletir sobre o desenvolvimento da linguagem cinematográfica de Alain Resnais a partir de seus curtas-metragens profissionais realizados nas décadas de 1940 e 1950. Através da análise de Van Gogh, Gauguin e Guernica percebemos um modo de transformações, abandonos e permanências dos elementos cinematográficos em seus três primeiros filmes, pertencentes ao gênero cinematográfico Documentário de Arte. Estes filmes e procedimentos são associados aos demais filmes realizados por Resnais nos anos 1950 e 1960.

Referências

ARAGÓN PANIAGUA, Tatiana. Realidad y ficción, cine y pintura: acerca de la presencia de Picasso en el film Guernica, de Alain Resnais. Boletín de Arte Universidad de Málaga, nos 26-27, 2005-2006.

ARTAUD, Antonin. Van Gogh o suicidado da sociedade. Trad. Aníbal Fernandes. Lisboa: Assírio & Alvim, 2004.

BAZIN, André. O cinema: Ensaios. Tradução de Eloisa de Araújo Ribeiro. Brasiliense: São Paulo, 1991.

BORGES, Cristian; CAMPOS, Gabriela; AISENGART, Ines. Retrospectiva Alain Resnais : a revolução discreta da memória: livro-catálogo da retrospectiva da obra do cineasta nos Centros Culturais Banco do Brasil de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, 2008. 184p.

BURCH, Noel. Four Recent French Documentaries. Film Quarterly, Oakland, Vol. 13, No. 1, 1959. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/1211243.

_____. Práxis do cinema. Tradução: Nuno Júdice e Cabral Martins. Lisboa: Editorial Estampa, 1973.

BURCH, Noel e RESNAIS, Alain. A conversation with Alain Resnais. Film Quarterly, Oakland, Vol. 13, No. 3, 1960. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/1210431.Accessed: 05/05/2019.

CAROU, Alain. Toute la mémoire du monde, entre la commande et l’utopie. 1895. Mille huit cent quatre-vingt-quinze, No. 52, 2007. Disponível em : http://journals.openedition.org/1895/1062.

DIMENDBERG, Edward. “These are not exercises in Style”: Le Chant du Styrène: October, Cambridge, Vol. 112, 2005. Disponível em : http://www.jstor.org/stable/3397645

EISENSTEIN, Serguei. A forma do filme. Tradução: Teresa Ottoni. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2002.

FELICIANO, Gilmara Martins. O olhar de Van Gogh pelas lentes de Alain Resnais: uma poética da luz. 2017. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós Graduação em Imagem e Som, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017.

GODARD, Jean-Luc. Jean-Luc Godard par Jean-Luc Godard. Editions Pierre Belfond: Paris, 1968.

JACOBS, Steven. Framing pictures: film and the visual arts. Edinburgh University Press: Edinburgh, 2011.

KUBISSA, Teresa Posada. Picasso y el cine: El Guernica y El Acorzado Potemkin. Boletín del Museo del Prado, Madrid, Vol. 9, No. 25-27, 1988. Disponível em: https://www.museodelprado.es/aprende/boletin/picasso-y-el-cine-el-guernica-y-el-acorazado/b7919314-b576-48f1-aa4d-96a384380f0c

LIANDRAT-GUIGUES, Suzanne. Alain Resnais e Nicole Vedrès. In BORGES, Cristian; CAMPOS, Gabriela; AISENGART, Ines. Retrospectiva Alain Resnais : a revolução discreta da memória. Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, 2008.

TOSHIO, Matsumoto. A Theory of Avant-Garde Documentary. Cinema Journal, Austin, Vol. 51, No. 4, 2012. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/23253586.

DALLE VACCHE, Angela. The Art Documentary in the Postwar Period. Aniki: Revista Portuguesa da Imagem em Movimento, América do Norte, Vol. 1, No. 2, 2014. Disponível em: http://aim.org.pt/ojs/index.php/revista/article/view/90.

Publicado
2019-07-09
Como Citar
Leão, D. V. (2019). A INVENÇÃO DAQUELE QUE INVENTARIA O CURTA-METRAGEM: BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE O CINEMA DO JOVEM ALAIN RESNAIS. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA, 8(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/2536
Seção
Dossiê