INVENÇÃO, HISTORICIDADE E SILENCIAMENTOS NO DISCURSO DE FLORESTANIA

A FLORESTANIA NA SUA HISTORICIDADE

  • Antonio Maicon Batista Bezerra Universidade Federal do Acre-UFAC

Resumo

O presente artigo busca promover uma revisão bibliográfica sobre o discurso de florestania, empreendido pelos governos da Frente Popular do Acre (1999-2018), dando ênfase para as abordagens que versam sobre sua reverberação simbólica, patrimonial e propagandista nos lugares de memória e veículos de informação, fazendo apontamentos e problematizações sobre silenciamentos que ainda permeiam o assunto, lacunas que perpetuam a narrativa totalizante da florestania, impondo distorções memoriais, culturais e identitárias nocivas ao exercício da cidadania. Para dialogarmos sobre a invenção discursiva da florestania percorremos os trabalhos dos seguintes autores:  Isac de Souza Guimarães Júnior (2008); José Sávio da Costa Maia (2009); João José Veras de Souza (2016).

Biografia do Autor

Antonio Maicon Batista Bezerra, Universidade Federal do Acre-UFAC
Possui ensino-médio-segundo-grau pela ELVIRA FERREIRA GOMES(2012), atualmente é acadêmico do curso de Licenciatura em História Pela Universidade Federal Acre-UFA.
Publicado
2020-06-02
Seção
ARTIGO