https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/issue/feed Jamaxi 2021-02-11T21:02:37-05:00 Sérgio Roberto tesesergio@gmail.com Open Journal Systems <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">Jamaxi: Revista de História e Humanidades é um periódico eletrônico, semestral, editado sob a responsabilidade dos cursos de licenciatura e bacharelado em História da Universidade Federal do Acre e da Associação Nacional de História – ANPUH/Seção Acre, sem fins lucrativos, com o intuito de propiciar o intercâmbio, circulação e difusão de estudos e pesquisas nas áreas de Ciências Humanas, educação e linguagens.&nbsp;&nbsp;Tem como objetivo mobilizar e envolver pesquisadores, professores e estudantes de graduação e pós-graduação de universidades dessa macro região, bem como manter relações com as experiências de professores da educação básica e de movimentos sociais das florestas e cidades amazônico-andinas.&nbsp;As contribuições, na forma de artigos, entrevistas, resumos e resenhas, poderão ser livres ou vinculadas a dossiês temáticos organizados por profissionais dos cursos de História da Ufac, ANPUH - Seção Acre e outras instituições.</p> <p><strong>ISSN: 2594-5173 | Qualis B3</strong></p> https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4399 EDUCAÇÃO NA PANDEMIA: UMA ANÁLISE DO QUESTIONÁRIO APLICADO AOS ALUNOS DO CURSO DE JORNALISMO/UFAC SOBRE O ENSINO REMOTO EMERGENCIAL 2021-02-10T10:01:08-05:00 Francielle Maria Modesto Mendes franciellemodesto@gmail.com Tatyana Sá de Lima tatyanalima@outlook.com <p>O uso de tecnologia em sala de aula é um importante debate educacional no Brasil. Contudo, em 2020, a pandemia do novo coronavírus trouxe novos desafios para os professores e alunos sobre o uso de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs). Diante disso, o presente estudo tem por objetivo discutir sobre a possibilidade do Ensino Remoto Emergencial (ERE) na pandemia, com uso de tecnologias, a partir da análise do questionário aplicado aos 212 alunos regularmente matriculados no primeiro semestre do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Acre – UFAC, em 2020. Para aplicação do questionário com 22 perguntas foi usada a ferramenta gratuita GoogleForms®, do Google®, que obteve 142 respostas entre os dias 25 de junho a 4 de julho de 2020. Os resultados apontam que a maioria do corpo discente do curso tem computador de mesa/notebook (66,9%) e internet doméstica (86,6%), tendo condições de ter aulas remotas, porém, esses estudantes consultados se negavam a aceitar essa modalidade de ensino (62%), entre outras coisas, pelo fato de muitos colegas não terem recursos técnicos para isso. Apesar disso, a UFAC aprovou o ERE por meio da Resolução nº 11 de 28 de agosto de 2020. O referencial bibliográfico deste estudo é baseado em autores como Moretzsohn (2017), Coscarelli e Ribeiro (2013), Barbosa e Andrade (2020), Moran (2012), entre outros.</p> 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4507 INVENÇÃO, HISTORICIDADE E SILENCIAMENTOS NO DISCURSO DE FLORESTANIA 2021-02-10T10:01:32-05:00 Antonio Maicon Batista Bezerra maiconbezerra22@gmail.com <p>O presente artigo busca promover uma revisão bibliográfica sobre o discurso de florestania, empreendido pelos governos da Frente Popular do Acre (1999-2018), dando ênfase para as abordagens que versam sobre sua reverberação simbólica, patrimonial e propagandista nos lugares de memória e veículos de informação, fazendo apontamentos e problematizações sobre silenciamentos que ainda permeiam o assunto, lacunas que perpetuam a narrativa totalizante da florestania, impondo distorções memoriais, culturais e identitárias nocivas ao exercício da cidadania. Para dialogarmos sobre a invenção discursiva da florestania percorremos os trabalhos dos seguintes autores: &nbsp;Isac de Souza Guimarães Júnior (2008); José Sávio da Costa Maia (2009); João José Veras de Souza (2016).</p> 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4280 A RELAÇÃO ENTRE O ÍNDIO E A TERRA E SUA RELAÇÃO COM O DIREITO DA PERSONALIDADE 2021-02-11T21:02:37-05:00 Ana Laís Prudêncio Rocha analaisrocha16@gmail.com Italo Schelive Correia italo.sc@unitins.br <p><strong>Resumo</strong></p> <p>Este trabalho tem por objetivo verificar se a terra, inicialmente dos índios, pode ser considerada como um direito ligado à personalidade dos silvícolas, dentro da realidade dos os povos indígenas Akroá e Xacriabá que viveram na região do norte da então capitania do Goiás. O método adotado foi a pesquisa exploratória e documental. Inicialmente, foi apresentado direito da personalidade, analisando e interpretando assim, os fenômenos dos mesmos no âmbito do direito civil e constitucional, em seguida uma análise da possibilidade de a terra tomada dos índios Akroá e Xacriabá pode ser considerado como parte da identidade desses povos, ou seja, como direito de personalidade, ademais, a análise do princípio da isonomia e da igualdade e a importância das políticas públicas de regularização fundiária de terras indígenas e apresentando uma contextualizando histórica desses povos. Por fim, verificou-se que a atual constituição, bem como as normas infraconstitucionais e os dispositivos internacionais embora busquem uma maior proteção dos povos indígenas e a demarcação de suas áreas, não é possível devolver as terras tomadas dos índios Akroá e Xacriabá aos seus descendentes e nem indenizá-los em razão de ter ocorrido no tempo do Brasil Império, entretanto, situações semelhantes em nossos dias podem dar maior proteção aos indígenas e suas áreas. Ademais, dá validade às políticas públicas voltadas à proteção de todos os direitos dos silvícolas, uma vez que tem natureza compensatória pelos descasos cometidos no passado.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Silvícolas; Demarcação de áreas; Direito de personalidade.</p> 2021-04-20T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/3336 A INTERFERÊNCIA DO CAPITAL PRIVADO NAS ESCOLAS PÚBLICAS EM RONDÔNIA 2021-02-10T10:02:17-05:00 Maycon Roberto Gomes Menezes mayconroberto1351@gmail.com <p><strong>RESUMO</strong></p> <p>A escola pública há tempos está sob crescente influência do discurso do empresariado, mais de sua cartilha neoliberal do que do seu capital em si. A partir da Conferência de Jomtien, realizada na Tailândia em 1990, onde houve a reunião de mais de uma centena de chefes de estado, para tratar sobre os rumos da educação para a próxima década, a abertura legal e moral para a interferência do setor privado na educação foi ali declarada. Nesse sentido, o presente trabalho pretende analisar como os desdobramentos do discurso, naquele momento proferido, chega ao nosso contexto regional mobilizando setores da sociedade civil que inserem seus intelectuais orgânicos no setor público e, também, analisá-lo à luz do Programa Escola do Novo Tempo da Secretaria Estadual de Educação de Rondônia, que tem como principais coordenador e parceiro o Instituto Sonho Grande e o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação – ICE, respectivamente.</p> <p><strong>Palavras-Chave:</strong> Educação; Escola; Programa Escola do Novo Tempo</p> <p><strong>Abstract</strong>:&nbsp; The public school has long been under the growing influence of the discourse of the business community – taking more from the neoliberal booklet than the actual capital involved in it. Since the Jomtien Conference, ocurred in Thailand in 1990 (when more than a hundred heads of state met to discuss the education paths for the next decade), legal and moral openness to private sector interference in education was recognized. This paper intends to analyze how the unfolding of the speech reaches the context of mobilizing sectors of civil society in the north of Brazil. These sectors insert their organic intellectuals in the public sector. The paper&nbsp; also aim to make an analyze of the Novo Tempo School Program of the State Secretariat of Education of Rondônia, coordinated by&nbsp; the Instituto Sonho Grande – with the participation of the Instituto de Corresponsabilidade pela Educação – ICE, respectively.</p> <p><strong>Keywords</strong>: Education; School; Novo Tempo School Program</p> 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4729 TURISMO E IMPACTOS AMBIENTAIS 2021-02-10T10:02:38-05:00 Fortunato Martins Filho difortunas2@hotmail.com 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4730 BREVE INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL 2021-02-10T10:02:58-05:00 Xênia de Castro Barbosa xenia.castro@ifro.edu.br 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4424 APONTAMENTOS SOBRE O ENSINO E TRAJETÓRIA FORMATIVA DOS DISCENTES DA LICENCIATURA DE HISTÓRIA NO PARFOR/UFAC (CRUZEIRO DO SUL/AC, 2016- 2020) 2021-02-10T09:59:34-05:00 Nedy Bianca Medeiros de Albuquerque biancaalbuquerquem@gmail.com <p>RESUMO</p> <p>Aqui se apresenta o resultado da somatória de observações feitas entre os o triênio de 2017 a 2020 com a docência das disciplinas de História do Brasil, somadas a cadeira de Pesquisa Histórica II, lecionadas no curso de Licenciatura em História, ministradas em módulos dentro do Plano Nacional de Formação da Educação Básica (PARFOR), ofertado no Campus Floresta da Universidade Federal do Acre (UFAC). Essa graduação iniciou em 2016 e se encerrou no ano em curso, recebendo a educadores das redes públicas municipais e estaduais do Acre e Amazonas. As aulas ocorreram em Cruzeiro do Sul por ser cidade de convergência, atendendo cinco município (três acrianos e dois amazonenses), envolvendo esforços dos entes federativos na formação de docentes para o ensino básico. Neste sentido, o presente texto é composto dos apontamentos feitos no decorrer dos módulos, com ênfase especial ao de Pesquisa Histórica II, quando foi criado instrumento de pesquisa pelos cursistas, que o aplicaram e analisaram, tomando como reflexão as suas trajetórias formativas como professores de História da rede pública no extremo ocidental da Amazônia. Logo, neste texto se propõe uma visão mais ampla sobre o ensino de História ao discorrer a respeito dos trajetos que levaram a construção formal desses professores. Assim constituindo para além de uma memória sobre essas vivências, um contributo a continuidade da política educacional brasileira valorativa da formação docente, com ênfase a interiorização, dialogando sobre a relevância do PARFOR no Acre. Os referenciais empregados foram Bittencourt (2008); Delgado, Ferreira (2013); Moreira (2017) dentre outros.</p> <p>PALAVRAS-CHAVE: PARFOR, formação de professores, ensino de História.</p> <p>&nbsp;</p> <p>ABSTRACT</p> <p>Here is presented the result of the sum of observations made between the triennium from 2017 to 2020 with the teaching of the subjects of History of Brazil, added to the chair of Historical Research II, taught in the Degree in History, taught in modules within the National Basic Education Training Program Plan (PARFOR), offered at Campus Floresta of the Federal University of Acre (UFAC). This graduation started in 2016 and ended in the current year, serving educators from the municipal and state public networks of Acre and Amazonas. The classes took place in Cruzeiro do Sul because it is a city of convergence, serving five cities (three of Acre and two of Amazonas), involving the efforts of federative entities in the training of teachers for basic education. In this sense, this text is composed of notes made during the modules, with special emphasis on Historical Research II, when a research instrument was created by the course participants, who applied and analyzed it, reflecting on their training trajectories as teachers of History of the public network in the western end of the Amazon. Therefore, this text proposes a broader view on the teaching of history when discussing the paths that led to the formal construction of these teachers. Thus constituting, in addition to a memory of these experiences, a contribution to the continuity of the Brazilian educational policy that values teacher education, with an emphasis on interiorization, dialoguing on the relevance of PARFOR in Acre. The references used were Bittencourt (2008); Delgado, Ferreira (2013); Moreira (2017) among others.</p> <p>KEYWORDS: PARFOR, teacher training, history teaching.</p> 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4514 SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS E OS IMPACTOS SOCIO-AMBIENTAIS: 2021-02-10T15:46:15-05:00 Fernando Ferreira fernando.chb2011@hotmail.com Raquel Frota Rodrigues raquel.arqueo@gmail.com <p>O presente artigo aborda os impactos sociais e ambientais oriundos da descoberta de sítios arqueológicos no Sudoeste da Amazônia em território acreano, e discutir as questões de educação patrimonial, bem como propõem novas abordagens relacionadas ao tratamento científico do patrimônio arqueológico.</p> 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/4461 O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DAS PROPOSTAS CURRICULARES PARA O ENSINO DE HISTÓRIA NO ESTADO DO ACRE 2021-02-10T15:45:14-05:00 Profa. Ma. Lucia Torres de Oliveira ltorresac@gmail.com Profa.Dra. Tânia Mara Rezende Machado taniaufac@gmail.com 2020-06-02T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Jamaxi