EDUCAÇÃO NA PANDEMIA: UMA ANÁLISE DO QUESTIONÁRIO APLICADO AOS ALUNOS DO CURSO DE JORNALISMO/UFAC SOBRE O ENSINO REMOTO EMERGENCIAL

  • Francielle Maria Modesto Mendes Universidade Federal do Acre - UFAC
  • Tatyana Sá de Lima

Resumo

O uso de tecnologia em sala de aula é um importante debate educacional no Brasil. Contudo, em 2020, a pandemia do novo coronavírus trouxe novos desafios para os professores e alunos sobre o uso de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs). Diante disso, o presente estudo tem por objetivo discutir sobre a possibilidade do Ensino Remoto Emergencial (ERE) na pandemia, com uso de tecnologias, a partir da análise do questionário aplicado aos 212 alunos regularmente matriculados no primeiro semestre do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Acre – UFAC, em 2020. Para aplicação do questionário com 22 perguntas foi usada a ferramenta gratuita GoogleForms®, do Google®, que obteve 142 respostas entre os dias 25 de junho a 4 de julho de 2020. Os resultados apontam que a maioria do corpo discente do curso tem computador de mesa/notebook (66,9%) e internet doméstica (86,6%), tendo condições de ter aulas remotas, porém, esses estudantes consultados se negavam a aceitar essa modalidade de ensino (62%), entre outras coisas, pelo fato de muitos colegas não terem recursos técnicos para isso. Apesar disso, a UFAC aprovou o ERE por meio da Resolução nº 11 de 28 de agosto de 2020. O referencial bibliográfico deste estudo é baseado em autores como Moretzsohn (2017), Coscarelli e Ribeiro (2013), Barbosa e Andrade (2020), Moran (2012), entre outros.

Biografia do Autor

Francielle Maria Modesto Mendes, Universidade Federal do Acre - UFAC

Professora Doutora do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Acre - UFAC.

Tatyana Sá de Lima

Mestre em Educação (UFAC). Coordenadora e Professora do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Acre (UFAC).

Publicado
2020-06-02
Seção
ARTIGO