REFLEXÕES SOBRE OS ESTUDOS DE GÊNERO E EDUCAÇÃO SEXUAL NO PROCESSO EDUCATIVO: ENTRE A CENSURA, O CONSERVADORISMO E O SENSO COMUM

Resumo

O presente artigo tem como objetivo abordar como os debates sobre gênero e educação sexual foram/estão sendo inseridos no campo da educação, refletindo sobre os interesses dos grupos dominantes na censura dessas temáticas, em detrimento do senso comum como forma de manutenção de controle hegemônico. Quanto aos procedimentos metodológicos, a pesquisa desenvolvida foi de abordagem qualitativa e pautou-se na realização de um estudo bibliográfico acerca das ideias de autores e autoras, como Melo (2014), Scott (1995), Louro (1995), dentre outros, além da análise documental dos PCNs e da BNCC. Conclui-se que os estudos de gênero e educação sexual continuam negligenciados nos currículos formais, implicando em limitações no processo educativo dos alunos e alunas, cujas corporeidades em construção sociocultural e histórica, são debatidas apenas em vieses biologizantes e higienistas.

Palavras-chaves: Gênero; Educação sexual; Relações de poder.  

Biografia do Autor

Sulamita Rosa da Silva, Universidade Federal do Acre

Licenciada em Pedagogia, Mestra em Educação e Professora substituta na Universidade Federal do Acre. Pesquisa sobre questões étnico-raciais e de gênero na formação de professores e trabalho docente. 

Kauana Brito Niz, Universidade Federal do Acre

Graduanda do curso de Licenciatura em Filosofia da Universidade Federal do Acre. Bolsista do Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica. Pesquisa sobre questões de gênero no campo da educação e da filosofia. 

Publicado
2019-12-23
Seção
ARTIGO