Chamada para publicação de artigos – Dossiê: Fronteiras multissituadas, Fronteiras Epistemológicas e fronteiras no - Organizadores: Tânia Mara Rezende Machado (PPGE/ ProfHistória/UFAC), Vanessa Generoso Paes (UFAC) e Zuila Guimarães Cova dos Santos (UNIR)

2021-05-06

Dossiê: Fronteiras multissituadas, Fronteiras Epistemológicas e fronteiras no Ensino de História

O mundo contemporâneo vem passando por transformações na esfera política, econômica, cultural e educacional com o acirramento das políticas neoliberais dentro da esfera dos estados com redução dos direitos constitucionais, na qual os principais atingidos são a sociedade civil, os povos originários, as populações afrodescendentes, as mulheres, os (e)imigrantes/refugiados/migrantes/apátridas/ciganos e os grupos LGBTQIA+,  que têm buscado alternativas para seus projetos de vida em outros territórios e Estados nacionais, fazendo com que a imigração e a mobilidade humana seja uma das mais variadas consequências frente aos desmonte do Estado de direito.  

A proposta deste dossiê temático assenta-se em três grandes temas aglutinadores:

  1. O primeiro composto pela discussão em torno das fronteiras multissituadas, as quais busca aglutinar pesquisas que discutam a temática da mobilidade humana em diferentes contextos fronteiriços, desde os processos educacionais e até os interculturais vividos pela população i(e)migrante/refugiada/migrantes em contextos urbanos e rurais; além disso, busca compreender, a partir de diferentes percursos de pesquisa, a geopolítica das fronteiras amazônicas na história contemporânea, os fluxos populacionais, os processos que envolvem a diversidade étnica de diferentes grupos em contextos de fronteira, além de englobar os mecanismos de resistência, e da luta em torno dos direitos humanos que tais populações mobilizam frente aos contextos de exclusão, de racismo e de xenofobia vivenciados no tempo presente.
  2. O segundo tema aglutinador refere-se as fronteiras epistemológicas, que pretende aproximar reflexões, percursos sobre as metodologias, sobre as teorias e sobre os procedimentos que envolvem as pesquisas das mobilidades e das diversidades de povos que circulam entre as faixas de fronteiras dos territórios brasileiros, promovendo encontros, trocas e mediações de processos nas diferentes fronteiras de articulação dos saberes nas áreas das Ciências Humanas. Além disso, as fronteiras epistemológicas permitem que sejam contemplados os processos decoloniais nos quais os sujeitos assumem ao tomarem a plataforma de agência de suas vidas. São as fronteiras epistemológicas da produção do conhecimento em diversos tempos e espaços que permite o encontro, a busca e a mediação de práticas e alternativas para esse tempo.
  3. O terceiro tema aglutinador refere-se as fronteiras do Ensino de História, que pretende reunir contribuições de pesquisadores de diversas instituições de ensino regional, nacional e internacional, cuja a meta é compreender as diferentes concepções educacionais, curriculares, de História e de Ensino de História do tempo presente que trabalhem com diferentes epistemologias em diferentes áreas das ciências humanas. Busca-se evidenciar os desafios e as possibilidades formativas comprometidas com a produção científica, tendo como prisma central a justiça social em contextos democráticos. Além disso, indagamos: quais são as intencionalidades que sustentam as políticas públicas para o Ensino de História? Como o currículo de história é concebido na BNCC contempla um pensamento crítico de fronteira? As políticas públicas de educação favorecem o diálogo interdisciplinar no ensino de História?  Os Ensinos de História que se fazem nas fronteiras Amazônicas consideram os modos de vida, as cosmologias e as diversidades dos sujeitos desse território? Consideram a realidade múltipla e híbrida da sociedade, da diversidade econômica, social e cultural? Consideram perspectivas amplas e plurais nos campos da educação, do currículo e do Ensino de História? Apresentam propostas de afirmação do das culturas locais na interseção com outras culturas? Quais são os valores e os princípios orientadores do Ensino de História na fronteira e de fronteira? As reformas e políticas educacionais asseguram propostas que vão ao encontro das exigências e das necessidades de uma formação histórica alargada?

Com o tema Fronteiras multissituadas, Fronteiras Epistemológicas e fronteiras no Ensino de História do presente dossiê, da Revista JAMAXI: Revista de História e Humanidades da área de História do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Acre e da Associação Nacional de História – ANPUH/Seção Acre, propomos o intercambio, circulação e difusão de estudos e pesquisas nas áreas de História e Ciências Humanas e Sociais.

As diretrizes para autores e outras informações adicionais podem ser acessadas pelo link: https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/about/submissions

Prazo limite para a submissão de artigos: 30 de Setembro/2021

Data da publicação do Dossiê: 30 de Dezembro/2021