EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO RESIDUAL COM NPK PARA A CULTURA DO MILHO

  • Niqueli Cunha da Costa Sales
  • Joab Ferreira de Souza
  • Maísa Pinto Bravin
  • Charniele Freitas da Costa
  • Aniquely Ferreira Gomes Morais
  • Vitória Filgueira
  • Kecy Dhones Monteiro Marques
  • Sebastiana de Oliveira Amorim
  • Railene Lima da Cruz
  • João Paulo Marim Sebim https://orcid.org/0000-0002-2188-180X
  • Cleilson Dourado da Silva Júnior
  • Leonardo Barreto Tavella

Resumo

Introdução: A Amazônia Brasileira apresenta solos com baixa fertilidade natural, havendo a necessidade do uso de adubos minerais que, por sua vez, devem ter seu uso otimizado de forma a elevar a eficiência não somente da cultura na qual o nutriente foi aplicado, como também daquela cultivada em sucessão. Objetivo: Avaliar o desempenho residual da adubação da cultura da mandioca (Manihot esculenta) sobre aspectos produtivos da cultura do milho (Zea mays). Metodologia: O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com 4 repetições. Os tratamentos foram constituídos por 6 formas de parcelamento: (T1 (controle) - Calcário; T2 - K+P 100% no plantio | N 100% aos 30 dias após o plantio (DAP); T3 - K+P 50% no plantio e 50% aos 60 DAP | N 50% aos 30 e 60 DAP; T4 - K+P 50% no plantio e 50% aos 90 DAP | N 50% aos 30 e 90 DAP; T5 - K+P 50% aos 30 DAP e 50% aos 90 DAP | N 50% aos 30 e 90 DAP; T6 - K+P 50% aos 60 DAP e 50% aos 120 DAP | N 50% aos 60 e 120 DAP. Foram avaliados a altura de plantas (m), número de espiga (ha-1) e número de grãos por espiga. As variáveis foram submetidas à análise de variância pelo teste F e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Resultados: O rendimento de grãos por espiga variou de 228,1 a 312,90 gramas, sendo o maior na adubação fornecida pelo T3.  Não houve diferenças significativas para as variáveis altura de plantas e número de espigas por hectare. Contudo, em valores percentuais a aplicação realizada em T6 promoveu melhorias para a cultura com acréscimo de 19,30% nas alturas de plantas (2,02 m) e de 37,28% para número de espigas (57.291,67 espigas por ha-1) em relação ao Tratamento controle. Conclusão: Os resíduos da adubação fracionada da mandioca em T3 e T6 é uma boa estratégia de manejo efetivo para elevar o rendimento agronômico do milho.

Publicado
2019-11-03
Como Citar
Niqueli Cunha da Costa Sales, Joab Ferreira de Souza, Maísa Pinto Bravin, Charniele Freitas da Costa, Aniquely Ferreira Gomes Morais, Vitória Filgueira, Kecy Dhones Monteiro Marques, Sebastiana de Oliveira Amorim, Railene Lima da Cruz, João Paulo Marim Sebim, Cleilson Dourado da Silva Júnior, & Leonardo Barreto Tavella. (2019). EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO RESIDUAL COM NPK PARA A CULTURA DO MILHO. ARIGÓ - Revista Do Grupo PET E Acadêmicos De Geografia Da Ufac, 2(1), 14. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/arigoufac/article/view/3020