PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO MINERAL NO DESEMPENHO PRODUTIVO DA CULTURA DA MANDIOCA

  • Sebastiana de Oliveira Amorim UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC
  • Joab Ferreira de Souza Núcleo de Agroecologia do Vale do Juruá - Campus Floresta - UFAC, Brasil
  • Railene Lima da Cruz UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC, Campus Floresta
  • Charniele Freitas da Costa UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC
  • Alana Silva de Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC
  • Gabriela do Nascimento Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC
  • Aniquely Ferreira Gomes Morais UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC - CAMPUS FLORESTA
  • Kecy Dhones Monteiro Marques UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC - CAMPUS FLORESTA
  • João Paulo Marim Sebim UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC - CAMPUS FLORESTA https://orcid.org/0000-0002-2188-180X
  • Arthur Uially da Silva Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC - CAMPUS FLORESTA
  • Falberni de Souza Costa EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA ACRE
  • Leonardo Barreto Tavella UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - UFAC - CAMPUS FLORESTA

Resumo

Introdução: Produzida em todo o Brasil, no contexto territorial a mandioca no Estado do Acre destaca-se como a principal cultura em termos de área plantada. Para a cultura da mandioca aplicação da adubação no momento adequado pode aumentar sua eficiência de uso por alterar o acumulo de amido nas raízes. Objetivo: Avaliar o desempenho produtivo da mandioca em resposta aos parcelamentos da adubação com NPK em base e cobertura em diferentes estádios fenológicos. Métodos: O delineamento experimental foi blocos ao acaso com quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos por 6 parcelas:T1 calcário; T2 calcário K+P 100% no plantio N 100% 30 dias após o plantio (DAP); T3 calcário K+P 50% no plantio e 50% 60 DAP, N 50% 30 e 60 DAP; T4  calcário K+P 50% no plantio e 50%  90 DAP N 50% 30 e 90 DAP; T5 calcário K+P 50% 30 DAP e 50% 90 DAP N 50% 30 e 90 DAP; T6 calcário K+P 50% 60 DAP e 50% 120 DAP N 50% 60 e 120 DAP. A colheita foi realizada ao final de 10 meses. Foram avaliados comprimento das raízes (cm); diâmetro das raízes (mm); massa fresca das raízes (kg.planta) e produtividade de raiz kg ha-1. As variáveis foram submetidas à análise de variância pelo teste F e as médias pelo teste Tukey 5%. Resultados: O diâmetro e comprimento das raízes por planta com ou sem adubação não houve diferença significativa. Porém em valores absoluto realizada em T3 para o comprimento das raízes e T6 para diâmetro das raízes apresentaram os melhores resultados. O mesmo tratamento de diâmetros de raízes proporcionou os maiores valores de massa fresca e está relacionado com aumento da produtividade de diâmetro e massa fresca para a produção final. Conclusão: Adubação realizada em T3 e T6 com aplicação dos nutrientes em duas épocas de plantio e 60 DAP para T3 e 60 e 120 DAP para T6 aumentam os índices de produção.

Publicado
2019-11-03
Como Citar
Sebastiana de Oliveira Amorim, Joab Ferreira de Souza, Railene Lima da Cruz, Charniele Freitas da Costa, Alana Silva de Souza, Gabriela do Nascimento Souza, Aniquely Ferreira Gomes Morais, Kecy Dhones Monteiro Marques, João Paulo Marim Sebim, Arthur Uially da Silva Santos, Falberni de Souza Costa, & Leonardo Barreto Tavella. (2019). PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO MINERAL NO DESEMPENHO PRODUTIVO DA CULTURA DA MANDIOCA. ARIGÓ - Revista Do Grupo PET E Acadêmicos De Geografia Da Ufac, 2(1), 13. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/arigoufac/article/view/3002