CONCEPÇÕES DE UMA EQUIPE PEDAGÓGICA ACERCA DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO AMBIENTE ESCOLAR

  • Edith Almeida Pinto Universidade Franciscana
  • Ricardo Aymay Gonçalves Universidade Franciscana
  • Renata Saraiva Guedes Faculdade UNINASSAU
  • Ana Lúcia Saccol Universidade Franciscana
  • Juliana Silveira Colomé Universidade Franciscana
Palavras-chave: Educação em Saúde; Promoção da Saúde; Serviços de Saúde Escolar; Educação Interprofissional.

Resumo

O objetivo do estudo foi analisar as concepções de uma equipe pedagógica em relação às ações de educação em saúde desenvolvidas a partir da integração de ações de ensino, pesquisa e extensão. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, do tipo pesquisa-ação, de abordagem qualitativa. Essa pesquisa ocorreu em uma escola de Ensino Fundamental, no interior do Estado do Rio Grande do Sul. Participaram do estudo, 8 (oito) integrantes da equipe pedagógica da escola. Os dados foram coletados por meio da realização de entrevistas coletivas que foram realizadas em quatro encontros com duração de aproximadamente uma hora, nas dependências da escola. Com a vinculação da escola ao PSE, bem como, a implementação de ações para os escolares, tendo impactado positivamente na saúde, educação e qualidade de vida dos estudantes.  Os resultados demonstraram que as ações de saúde no cenário escolar ocorreram de maneira integrada e com resolutividade. A integração da equipe pedagógica permitiu o delineamento de estratégias, a construção de uma relação de confiança com a equipe e com as crianças e também um vínculo com a Secretaria de Saúde do município por meio do PSE. Contudo, há a necessidade de continuidade das ações e identificação de novas demandas para que a parceria com a gestão municipal se fortaleça e o cenário estudado possa ser contemplado com estratégias de enfrentamento para as necessidades identificadas.

Biografia do Autor

Edith Almeida Pinto, Universidade Franciscana

Enfermeira. Mestre em Ciências da Saúde e da Vida da Universidade Franciscana (UFN).

Ricardo Aymay Gonçalves, Universidade Franciscana

Biólogo. Mestrando em Ciências da Saúde e da Vida da Universidade Franciscana.

Renata Saraiva Guedes, Faculdade UNINASSAU

Odontóloga. Doutora em Odontologia. Docente da Faculdade Maurício de Nassau (UNINASSAU).

Ana Lúcia Saccol, Universidade Franciscana

Nutricionista. Doutora em Nutrição. Docente da Universidade Franciscana (UFN).

Juliana Silveira Colomé, Universidade Franciscana

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente da Universidade Franciscana (UFN).

Referências

[1] FALKENBERG, M. B. et al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, v.19, n.3, p.847–852, 2014.
[2] BRASIL. Ministério da saúde. Caderno do gestor do PSE/Ministério da saúde, Ministério da Educação. – Brasília: Ministério da Saúde, p.68, 2015.
[3] JUNIOR, A. J. S. School health program: Limits and intersectoral possibilities. Interface: Communication, Health, Education, v.18, n.51, p.797–799, 2014.
[4] BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Passo a passo do Programa Saúde na Escola: tecendo caminhos da intersetorialidade. Instrutivo PSE. - Brasília: Ministério da Saúde, 2011.
[5] COUTO, A. K. et al. O ambiente escolar e as ações de promoção da saúde. Revista do Departamento de Educação Física e Saúde e do Mestrado em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul/Unisc - Santa Cruz o Sul, v.17, n.4 (Suplemento 1), 2016.
[6] BRASIL. Ministério da saúde. Caderno do gestor do PSE/Ministério da saúde, Ministério da Educação. – Brasília: Ministério da Saúde, p.27, 2015.
[7] STYRON, R. Interdisciplinary Education: A Reflection of the Real World. Systemics, Cybernetics and Informatics, v.11, n.9, p.47–52, 2013.
[8] POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.
[9] MINAYO, M.C.S. O Desafio do Conhecimento. Pesquisa Qualitativa em Saúde. 14ª edição. Hucitec-Abrasco. São Paulo-Rio de Janeiro, 2014.
[10] COUTO, Analie Nunes et al. O ambiente escolar e as ações de promoção da saúde. Cinergis, Santa Cruz do Sul, v. 17, out. 2016. ISSN 2177-4005. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2019. doi:http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v17i0.8150.
[11] BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Passo a passo do Programa Saúde na Escola: tecendo caminhos da intersetorialidade. Instrutivo PSE. Brasília: Ministério da Saúde, p.7, 2011.
[12] FARIA F. H. P.; AGUIAR A. C.; MOURA A. T. M. S.; SOUZA L.M.B.M. Percepções de profissionais de saúde da família e de educação sobre a Promoção da Saúde no ambiente escolar. Revista de APS, v.16, n.2, p. 158-64, 2013.
[13] MEDEIROS, A. B. et al. A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais.Revista Faculdade Montes Belos, v.4, n.1, set. 2011.
[14] VERDELONE, T. H.; CAMPBELL, G.; ALEXANDRINO, C. R. Trabalhando educação ambiental com turmas do ensino fundamental I. Brazilian Journal of Development, v.5, n.6, p.4675–4687, 2018.
[15] COELHO J. P. S. L. Ensino de primeiros socorros nas escolas e sua eficácia. Revista Científica do ITPAC, Araguaína, v.8, n.1, Pub.7, Janeiro 2015.
Publicado
2020-01-22
Como Citar
Almeida Pinto, E., Aymay Gonçalves, R., Saraiva Guedes, R., Saccol, A. L., & Silveira Colomé, J. (2020). CONCEPÇÕES DE UMA EQUIPE PEDAGÓGICA ACERCA DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO AMBIENTE ESCOLAR. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 6(2), 451-460. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/3005
Seção
Artigos Originais Ciências da Saúde