EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA PARA SUPERAÇÃO DOS EIXOS DE SUBORDIANÇÃO

  • Carla Santos Pinheiro

Resumo

A inserção da primeira infância nas políticas públicas educacionais como integrante ao sistema de ensino é realidade recente propiciada pela Lei Federal no 9.394/96. No mesmo esteio, apesar de a Lei Federal no 10.639/03 ser caminho fecundo para implementação de um currículo nas instituições educacionais que supere mecanismos de poder e de dominação fundados na colonização e no eurocentrismo, ambientes escolares de atendimento a bebês, a crianças bem pequenas e a crianças pequenas não fazem parte da redação desta ação afirmativa. Como forma de instaurar revolução pluridimensional nas práticas pedagógicas que privilegiem a diversidade e o contato cultural ao passo que superem eixos de subordinação pautados na perspectiva adultocêntrica e eurocêntrica civilizatória, este artigo pretende refletir sobre entraves e possibilidades da educação para as relações étnico-raciais em creches e pré-escolas.  A pesquisa possui caráter qualitativo de cunho bibliográfico e documental - por ter como fundamento pesquisas e leis que abordem sobre Educação Infantil e educação antirracista de forma específica e seus atravessamentos - e se ampara na técnica denominada por incidente crítico.

PALAVRAS-CHAVE: Educação Infantil. Relações étnico-raciais. Eixos de subordinação. Lei Federal no 10.639/03.

Publicado
2020-11-18