FILME “PANTERA NEGRA"

A REPRESENTAÇÃO POSITIVA NO CINEMA PARA O ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA

  • Mauricio dos Santos Lopes Junior
  • Andressa Queiroz da Silva Universidade Federal do Acre - UFAC

Resumo

Cinematografia é uma forma de linguagem e por isso é carregado de discurso, faz parte de uma ideologia e possui um objetivo. Quando analisamos o cinema, percebemos que o personagem negro e o continente África muitas vezes (quase sempre) é representado de maneira estereotipada. Dessa maneira, produções como o filme Pantera Negra (Black Panther, 2018) que rompem com esse panorama são tão importantes e podem ser usados na sala de aula como instrumento pedagógico. O presente estudo possui como objetivo analisar o filme Pantera Negra para assim mostrar como o uso deste em sala de aula pode contribuir para o ensino de história da África em conformidade com a Lei 10.639/2003. Para auferir tal objetivo utilizamos como referencial teórico: Napolitano (2003) Souza (2011) e Bittencourt (2004; 2008), além do próprio filme e a Lei 10.639/2003. A metodologia utilizada é de cunho qualitativo, baseado nos três elementos de análise de filmes citados por Napolitano (2003). Assim, chegamos à conclusão de que o presente filme pode ser uma maneira positiva de representação do continente africano, uma vez que rompe com os modelos de filmes da indústria ao valorizar a África e sua história por isso deve ser usado na sala de aula no ensino de História da África com finalidade educativa, efetivando também a Lei 10.639/2003.

 

PALAVRAS-CHAVE: Lei 10.639/2003. Pantera Negra. Representação.

Biografia do Autor

Andressa Queiroz da Silva, Universidade Federal do Acre - UFAC
Pesquisadora do Observatório de Discriminação Racial do Estado do Acre. Bacharela em Serviço Social pela Faculdade da Amazônia Ocidental - FAAO (2015). Especialista em Famílias e Representações Familiares pela Faculdade da Amazônia Ocidental - FAAO (2016). Graduada no curso de Licenciatura em Letras Português na Universidade Federal do Acre - UFAC (2016). Formada no curso de Aperfeiçoamento em Educação Étnico Racial na Escola – UNIAFRO (2016). Atualmente cursa a especialização em Estado e Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais na Universidade Federal da Bahia - UFBA.
Publicado
2020-11-18