RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS COMO OBJETO DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM ESCOLA PÚBLICA NO ESTADO DO PARANÁ

PRÁTICA DOCENTE E O DESCOLONIZAR DO COTIDIANO ESCOLAR

Resumo

Defendendo a prática docente como principal mecanismo de efetivação do que propõe o Artigo 26A da LDBEN, esse tido como referência de uma pedagogia decolonial para o cotidiano escolar, o presente trabalho apresenta apontamentos reflexivos sobre a relação entre a docência e a temática das relações étnico-raciais, utilizando-se para isso de relatos de uma atividade formativa realizada com professoras/es de uma rede municipal de ensino do estado do Paraná. A metodologia utilizada foi a revisão exploratória da produção científica sobre a temática, tendo na pesquisa qualitativa a caracterização central da análise, esta dialogada com um relato de experiência do projeto de formação realizado. Os dados obtidos indicam que, em maior ou menor escala, os professores conhecem direcionamentos possíveis para se solucionar situações de tensão no que se refere a discriminação e preconceito racial em sala de aula. Entretanto, a ausência de um debate sobre essa realidade nos cursos de formação inicial, bem como a manutenção do uso do senso comum no exercício docente, inviabiliza uma ação, por parte dos profissionais em educação, voltada à criticidade no que se refere a diferença e a diversidade étnico-racial brasileira.

 

PALAVRAS-CHAVE: Educação Básica. Prática docente. Relações Étnico-raciais. Lei nº 10.639/2003.

Publicado
2020-11-18