OS VERBOS APRESENTACIONAIS NÃO-EXISTENCIAIS EM TEXTOS DO GÊNERO NOTÍCIA

  • Sergio da Silva Santos UFAC
Palavras-chave: Verbos apresentacionais não-existenciais; Funcionalismo; Gênero notícia; Focalização.

Resumo

Este artigo faz uma análise dos verbos apresentacionais não-existenciais em textos jornalísticos do gênero notícia, usando como corpus notícias publicadas nos jornais Folha do Acre (FDA), O Rio Branco (ORB), A Gazeta (AG), Contilnet (CN) e AC24Horas (AC24H). A hipótese inicial é a de que os apresentacionais não-existenciais podem servir de recurso linguístico no processo de focalização de sintagma nominal (SN) que são relevantes na sentença desse gênero textual. A partir de uma abordagem funcionalista de modo geral, o artigo recorre a noções como a ordem da sentença, de Pezatti (2014, 2012), o fluxo de informação, de Prince (1981), a classificação semântica dos verbos, de Borba (1996). Os resultados mostram que a ocorrência de verbos apresentacionais não-existenciais em textos jornalísticos é bem menos frequente do que em textos orais.

Referências

BORBA, F. S. Uma gramática de valências para o português. São Paulo: Ática, 1996. Col. Série Fundamentos.

GOMES, R. L. R. A posposição do sujeito no português e no espanhol: um estudo contrastivo. Tese de doutorado. Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006.

KOCH, I. G.V. Interferência da oralidade na aquisição da escrita. In: Trabalhos em Linguística Aplicada. Departamento de Linguística Aplicada do Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP, 30, Campinas: Editora da UNICAMP, 1997. p. 31-8.

LAGE, N. Estrutura da notícia. 5. ed. São Paulo: Ática, 2000.

MACAULAY, R. K. S. Locating dialect in discourse: the language of honest men and bonnie lasses in Ayr. Oxford: Oxford University Press, 1991.

MARCUSCHI, L. A. Contextualização e explicitude na relação entre fala e escrita. In: Anais do I Encontro de Língua Falada e Ensino. Maceió: Ed. da UFAL, 1995, p.27-48.

________. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

PRINCE, H. F. Toward a toxonomy of given-new information. In: COLE, P. (Ed.). Radical pragmatics. New York: Academic Press, p. 223-255, 1981.

PEZATTI, E. G. Ordenação de constituintes em construções categorial, tética e apresentativa. In: Revista D.E.L.T.A., n. 28, v. 2, p. 353-385, 2012.

________. A ordem das palavras no português. São Paulo: Parábola Editorial, 2014. Col. Lingua[gem] 58.

SCHNEUWL, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Traduzido por Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado das Letras: 2004.

SANTOS, S. da S. O estatuto morfossintático, semântico e pragmático de verbos em estruturas apresentacionais não-existenciais. 2019. 128f. Tese. (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Curso de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São José do Rio Preto.

TAVARES, M. A. Textos de diferentes gêneros produzidos em entrevistas sociolinguísticas: o caso do banco de dados VARSUL. In: Veredas on-line – Atemática, Juiz de Fora, vol. 19, n. 2, p. 176-194, 2015.
Publicado
2020-07-02
Como Citar
Santos, S. da S. (2020). OS VERBOS APRESENTACIONAIS NÃO-EXISTENCIAIS EM TEXTOS DO GÊNERO NOTÍCIA. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), 9(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/3705
Seção
Artigos