VIDEOCLIPES INTERATIVOS: O ESTADO DA ARTE DA PRIMEIRA DÉCADA (2007-2016)

  • Carlos Henrique Sabino Caldas Universidade do Estado de Minas Gerais
Palavras-chave: Videoclipe interativo, Estado da arte, Interatividade

Resumo

A fim de compreender o fenômeno dos videoclipes interativos, este trabalho tem como objetivo apresentar o estado da arte por meio de uma exposição descritiva do mapeamento desenvolvido acerca da primeira década de desenvolvimento dos videoclipes interativos (2007-2016). Após a descrição, serão mostrados os apontamentos quantitativos, focalizando os seguintes tópicos: Videoclipes interativos 2007-2016; Linha do tempo dos videoclipes interativos 2007-2016; Ferramentas de interação; Linha do tempo das Ferramentas de interação; Interação imagem e/ou som; Linha do tempo Interação imagem e/ou som; Suporte; Linha do tempo do Suporte; Formato; Linha do tempo do Formato; Videoclipes Interativos ativos e inativos; Linha do tempo dos Videoclipes Interativos ativos e inativos; Gênero Musical; Linha do tempo do Gênero Musical.

Referências

BOLTER, J. D. GRUSIN. R. Remediation: Understanding New Media. Cambrigde: MIT Press, 2000.
GOODWIN, A. Dancing in the Distraction Factory: Music Television and Popular Music. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1992.
HOLZBACH, A. D. Smells Like Teen Spirit: a consolidação do videoclipe como gênero áudio-visual. Tese (Doutorado em Comunicação Social). Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2013.
JENKINS, H. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2008.
KORSGAARD, M. B. Music Video Transformed. In Richardson J., Gorbman C., Vernallis C. ,The Oxford Handbook of New Audiovisual Aesthetics, Oxford, OUP USA, 2015.
LEÃO, L. Poéticas do ciberespaço. In: Lúcia Leão (org.). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora SENAC, 2005.
MACHADO, A. A televisão levada a sério. São Paulo: Senac, 2001.
MANOVICH, L. The language of new media. Massachussets: The MIT Press, 2001.
MURRAY, J. H. Hamlet no holodeck: o futuro da narrativa no ciberespaço. São Paulo: Itaú Cultural: Unesp, 2003.
ROMANOWSKI,J.P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo "estado da arte" em educação. Revista Diálogo Educacional, PUCPR, v.6, p.37-50, 2006.
RUDIGER, F. As teorias da cibercultura: perspectivas, questões, autores. Porto Alegre: Sulina, 2011.
VERNALLIS, C. Experiencing music video: aesthetics and cultural context. New York: Columbia University Press, 2004.
Publicado
2020-06-26
Como Citar
Caldas, C. H. S. (2020). VIDEOCLIPES INTERATIVOS: O ESTADO DA ARTE DA PRIMEIRA DÉCADA (2007-2016). TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), 9(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/3681
Seção
Artigos