O “CÍRCULO INFINITO” DO ETERNO RETORNO: REFLEXÕES SOBRE O MÍTICO E O TRÁGICO NA SÉRIE DARK

  • Stamberg José da Silva Júnior Universidade do Estado do Rio Grando do Norte - UERN
  • André Bonsanto Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
Palavras-chave: Mito; Tragédia; Narrativa; Ficção Seriada; Dark.

Resumo

O presente artigo visa compreender a jornada do herói na narrativa de ficção seriada alemã Dark. Para isso, realizamos uma análise imagético-discursiva que dialoga com autores da filosofia (Nietzsche, Cassirer), antropologia (Campbell, Leloup), psicologia (Cirulnyk, Balandier), literatura (Ésquilo, Lispector, Dostoievski) e comunicação (Jost). O objetivo é identificar como o mito e a tragédia – temas caros à filosofia pré-socrática – se fazem presentes em produções contemporâneas como a série supracitada. Os resultados apontam para uma reinterpretação clássica do mítico e do trágico na narrativa analisada.

Biografia do Autor

Stamberg José da Silva Júnior, Universidade do Estado do Rio Grando do Norte - UERN

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanas (PPGCISH) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN.

André Bonsanto, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN

Professor colaborador e bolsista de Pós-doutorado (PNPD/CAPES) junto ao Programa de PósGraduação em Ciências Sociais e Humanas (PPGCISH) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN. Doutor em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense – UFF.

Referências

BALANDIER, Georges. O Dédalo. Para finalizar o século XX. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.
CAMPBELL, Joseph. O poder do mito: com Bill Moers. Tradução: Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Palas Athenas, 1990.
___________. Mito e transformação. Tradução: Frederico N. Ramos. São Paulo: Editora Ágora, 2008.
___________. O herói de mil faces. Tradução: Adail Ubirajara Sobral. São Paulo: Editora Pensamento, 1997.
CASSIRER, Ernest. Ensaio sobre o homem: introdução a uma filosofia da cultura humana. Tradução: Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
CYRULNIK, Boris. Dizer é morrer. A vergonha. São Paulo: Martins Fonte, 2012.
DOSTOIÉVSKI, Fiódor. Memórias do subsolo. São Paulo: Editora 34, 2000.
DARK. (Temporada 1). [Série] Direção: Baran bo Odar. Roteiro: Baran bo Odar; Jantje Friese. Produção: Baran bo Odar, Jantje Friese, Wiederman & Berg Filmproduktion, Justyna Musch, Quirin Berg, Max Wiedermann. Alemanha: Netflix, 2017. Streaming, cor. 10 episódios
DIAS, Rosa. Nietzsche, vida como obra de arte. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.
ÉSQUILO. Prometeu Acorrentado. In: EURÍPEDES ... [et al.]. O Melhor do Teatro Grego: Prometeu Acorrentado, Édipo Rei, Medeia, As Nuvens. Tradução: Mário da Gama Kur. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.
HENDERSEN, Joseph L. Os mitos antigos e o homem moderno. In: JUNG, Carl G. O homem e seus símbolos. Tradução: Maria Lúcia Pinho. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, s.d, Cap.2, p.104-107, 1964.
JOST, François. Do que as séries americanas são sintoma? Tradução: Elizabeth B. Duarte e Vanessa Curvello. Porto Alegre: Sulina, 2012.
JUNG, Carl G. O homem e seus símbolos. Tradução: Maria Lúcia Pinho. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 2008.
KEHL, Maria Rita. Ressentimento. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2015.
LARROSA, Jorge. Pedagogia profana – danças piruetas e mascaradas. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.
LELOUP, Jean-Yves. Caminhos da realização. Dos medos do eu ao mergulho no ser. São Paulo: Editora Vozes, 1999.
LISPECTOR, Clarice. A paixão segundo G.H. Florianópolis: Editora da UFSC, 1988.
NIETZSCHE, Friedrich. A Gaia Ciência. Tradução: Antônio Carlos Braga. São Paulo: Escala, 2013.
____________. _______ Além do Bem e do Mal. Tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras , 2ª ed. 2002.
____________. Assim falava Zaratustra. Tradução: Ciro Mioranza. São Paulo: Escala Educacional, 2006.
____________. O nascimento da tragédia ou Grécia e pessimismo. Tradução: Antônio Carlos Braga. São Paulo: Escala, 2011.
____________. Ecce Homo. Tradução: Marcelo Bakes. Porto Alegre: L&PM, 2003.
PORTELLI, Alessandro. A lógica das narrativas e a aprendizagem da diferença na pesquisa de campo. In: WHITALKER, D.C.A; VELOSO, T.M.G (orgs) Oralidade e Subjetividade: os meandros infinitos da memória. Campina Grande: EDUEPB, 2005.
ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: J. Olmpio, 1963.
SHAKESPEARE, William. The Tragedy of Hamlet, Prince of Denmark. Londres: Moby Lexical Tools, 1999.
Publicado
2020-05-30
Como Citar
José da Silva Júnior, S., & Bonsanto, A. (2020). O “CÍRCULO INFINITO” DO ETERNO RETORNO: REFLEXÕES SOBRE O MÍTICO E O TRÁGICO NA SÉRIE DARK. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), 9(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/3610
Seção
Artigos