FLEABAG AND SELF-REFLEXIVITY: BREAKING-THE-FOURTH-WALL OF A WOMAN’S INNER WORLD

  • Luis Rocha Antunes Augusta University

Resumo

Este estudo analisa e descreve o uso de auto-reflexividade na série Fleabag (Phoebe Waller-Bridge, 2016-2019), mostrando o uso que a série faz da quebra da quarta parede de forma a criar um relacionamento contínuo estabelecido entre a personagem principal e o espectador. Ao testar o uso de auto-reflexividade da série em relação aos cinco critérios de engajamento ficcional de Jean-Marc Limoges, o estudo explica por que razão a quebra da quarta parede em Fleabag não é um mero dispositivo cômico, mas uma inteira camada diegética que molda a forma como o espectador percepciona a personagem principal da série, bem como o envolvimento do espectador com o mundo ficcional em Fleabag. Finalmente, este estudo oferece uma descrição do conceito de personal life audience enquanto forma de explicar a importância dramatúrgica de quebra da quarta parede na série, nomeadamente, como o dispositivo afeta e molda o desempenho de Waller-Bridge enquanto atriz e como fortalece a sua personagem. O objetivo principal do estudo é demonstrar a originalidade da extensão em que a auto-reflexividade ocorre em Fleabag e como quebrar a quarta parede ajuda a perceber o mundo interior de um personagem com uma dimensionalidade que seria difícil de alcançar sem o uso de auto-reflexividade.

Referências

BIANCULLI, David. The platinum age of television: from I Love Lucy to the Walking Dead, how TV became terrific. New York: Doubleday, 2016.

CALDWELL, John. Screen practice and conglomeration: how reflexivity and conglomeration fuel each other. In: KOLER, Robert. Film and media studies. Oxford: Oxford University Press, 2008.

GARDNER, Lyn. Fleabag – Edinburgh festival 2013 review. The Guardian. Published on Wed 21 Aug 2013. https://www.theguardian.com/stage/2013/aug/21/fleabag-edinburgh-festival-2013-review

HINCKLEY, Jaren. Performance anxiety: Constantin Stanislavski's concept of public solitude. In: College Music Symposium, vol. 48, 2008, pp. 124–130. JSTOR. www.jstor.org/stable/25664813.

LIMOGES, Jean-Marc. The gradable effects of self-reflexivity on aesthetic illusion in cinema. In: WOLF, Werner; BANTLEON, Katharina; THOSS, Jeff. Metareference across media: theory and case studies. Amsterdam: Rodopi, 2009.

LISPECTOR, Clarice. The hour of the star. Manchester: Carcanet, 1986.

SHEPPARD, Anthony. Revealing masks. Los Angeles: University of California Press, 2001.

WOLF, Werner. Is there a metareferential turn, and if so, how can it be explained?. In: WOLF, Werner. The metareferential turn in contemporary arts and media: forms, functions, attempts at explanation. Amsterdam: Rodopi, 2011.

NÖTH, Winfried; and BISHARA, Nina. Self-reference in the media: the semiotic framework. Berlin: Walter de Gruyter, 2007.
Publicado
2020-04-21
Como Citar
Antunes, L. R. (2020). FLEABAG AND SELF-REFLEXIVITY: BREAKING-THE-FOURTH-WALL OF A WOMAN’S INNER WORLD. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), 9(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/3283
Seção
Dossiê - A nova Era Dourada da Televisão: as séries contemporâneas