DISCURSOS SOBRE CERTAS AMAZÔNIAS: UMA LEITURA DAS CRÔNICAS DE CARVAJAL E DE “CARTA PRÁS ICAMIABAS” DE ANDRADE

  • Helio Rodrigues da Rocha Universidade Federal de Rondônia - UNIR
  • João Carlos Pereira Coqueiro Universidade de Trás-Os-Montes e Alto Douro (UTAD), Portugal

Resumo

Utilizando os textos “A relação do descobrimento do rio Amazonas”, de Gaspar de Carvajal, na versão de Oviedo Y Valdés, no livro As Crônicas do rio Amazonas (1993), de Antônio Porro e “Carta prás Icamiabas, excerto do livro Macunaíma – o herói sem nenhum caráter (2002), de Mário de Andrade – procuramos, neste artigo, descrever semelhante sistema de dispersão entre grupos de enunciados e definir uma certa regularidade entre os objetos, os tipos de enunciação, os conceitos e as escolhas temáticas. Essa dispersão enunciativa e essa regularidade, entre tais eixos discursivos, convergem para o objeto em análise: as Amazônias dos viajantes em tela. Na análise, trabalhamos com categorias como enunciado, discurso, formação e prática discursiva, advindas da Análise do Discurso de linha francesa, especificamente das ideias propostas por Michel Foucault em seu livro A Arqueologia do Saber (2002), além de teóricos como Dussel (1993), Bakhtin (1997), Fanon (1990), dentre outros.

Publicado
2018-12-05
Como Citar
Rocha, H. R. da, & Coqueiro, J. C. P. (2018). DISCURSOS SOBRE CERTAS AMAZÔNIAS: UMA LEITURA DAS CRÔNICAS DE CARVAJAL E DE “CARTA PRÁS ICAMIABAS” DE ANDRADE. TROPOS: COMUNICAÇÃO, SOCIEDADE E CULTURA (ISSN: 2358-212X), 7(2). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/tropos/article/view/2096
Seção
Artigos