PESQUISA EM EDUCAÇÃO: CLAREZA E OBJETIVIDADE PARA COMPREENSÃO DO TEXTO

Palavras-chave: Educação, Objeto, Problemas, Questões, Pesquisa

Resumo

Este trabalho é resultado de uma pesquisa bibliográfica que teve como foco principal identificar como o problema, as questões, o objeto e a metodologia têm sido construídos pelos pesquisadores da área de Educação. Para tanto, foram selecionados 16(dezesseis) artigos publicados no site da Anped – Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação, publicados no Grupo de trabalho 5, cuja temática geral é referente à Educação e Políticas Públicas. Os artigos foram selecionados dentro das seguintes áreas: Financiamento, Políticas Públicas e Gestão. Sobre financiamento da educação, os artigos abordam como temática o destino dos recursos para a educação, oriundos das esferas federal, estadual e municipal. Na área de Políticas Públicas, as pesquisas tratam de variados temas referentes a políticas públicas, dentre os quais a política de acountability e suas repercussões em municípios catarinenses, as políticas de descentralização, participação e autonomia da educação básica dos estados de São Paulo e Paraná, as políticas para o ensino médio e profissionalizante, fazendo uma análise das reformas a partir dos anos de 1990, além da política de educação à distância, buscando compreender suas concepções, especialmente o Pró formação e o Pró gestão, assim como o papel do Poder Legislativo na formulação de Políticas Educacionais. Na área de Gestão, embora os artigos tratassem de algumas temáticas específicas, como avaliação, projetos ou práticas escolares, os trabalhos tinham como objetivo principal analisar se o modelo de gestão democrático propagado se efetiva na prática em cada um dos sistemas pesquisados. O estudo se mostrou relevante à medida que possibilitou verificar como os pesquisadores na área de educação têm tratado os componentes da pesquisa científica, em especial, objeto, problema, questões e metodologia, na construção de seus artigos científicos, bem como, a importância desses componentes para a compreensão das temáticas e do objeto analisado.

 

Referências

(...) não se percebeu que os problemas de fundo são os mesmos e quequalitativo, em pesquisa, não é dispensa de rigor e consistência. Enveredar por novos caminhos considerados mais ajustados às necessidades de uma compreensão diferenciada do real, não quer dizer apenas utilizar outros tipos de instrumentos, mas sim transformar atitudes e perspectivas cognoscentes, sem abandonar o eixo de consistência explicativa. (GATTI, 2003)

A escolha da abordagem de um problema de pesquisa vincula-se primordialmente aos objetivos que se tem, à maneira de se formular o problema, ao alcance pretendido quanto aos resultados. Não é possível eliminar pura e simplesmente formas de coleta de dados para pesquisa, sem uma discussão teórico-metodológica aprofundada sobre os significados a alcançar. (GATTI, 2006)

Qualquer que seja o problema, o referencial teórico ou a metodologia empregada uma pesquisa implica o preenchimento de três requisitos 1 - A existência de uma pergunta que se deseja responder; 2 - A elaboração (e sua descrição) de um conjunto de passos que permitam obter informação necessária para responde-la; 3 - A indicação do grau de confiabilidade na resposta obtida. Em outras palavras é necessário haver um problema de pesquisa (o que não significa uma hipótese formal), um procedimento que gere informação relevante para a resposta e, finalmente, é preciso demonstrar que esta informação é decorrente do procedimento empregado e que a resposta produzida por ele não é apenas uma resposta possível, como também é a melhor resposta nas circunstancias (o que inclui, certamente, o referencial teórico). (LUNA, 1988)

A pesquisa acadêmica é, pois, uma atividade pedagógica que visa despertar o espírito de busca intelectual autônoma. É necessário que se aprendam as formas de problematizar necessidades, solucionar problemas, indicar respostas adequadas (...) o resultado mais importante não é a oferta de uma resposta salvadora para a humanidade, mas a aquisição do espírito e método para a indagação intencional. (SANTOS, 1999)

Publicado
2017-12-18
Seção
EDUCAÇÃO