Assistência de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva: mapeamento dos diagnósticos de enfermagem

  • ##charlene.lima## ##ferreira## UFAC
  • ##Prado, P. R.## Universidade Federal do Acre
  • BETTENCOURT, A. R Universidade Federal de São Paulo
  • AMARAL, G. L. G Universidade Federal do Acre
Palavras-chave: Assistência de Enfermagem, Terminologia Padronizada em Enfermagem, Processo de Enfermagem, Diagnóstico de Enfermagem, Unidade de Terapia Intensiva

Resumo

Objetivo: Identificar os diagnósticos de enfermagem em pacientes críticos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Método: Estudo exploratório e descritivo o qual utilizou os prontuários de pacientes admitidos na unidade de terapia intensiva do Hospital Regional do Juruá, Acre, no período de março de 2014 a março de 2015. Foram coletadas variáveis sociodemográficas, clínicas, as expressões e termos contidos nas evoluções de enfermagem que representaram respostas humanas. Resultados: Foram identificadas 294 expressões e termos que após mapeamento cruzado com a NANDA-I resultaram em 72 diagnósticos de Enfermagem. Os diagnósticos mais prevalentes foram: Risco de infecção (83,56%), Integridade tissular prejudicada (68,49%), Troca de gases prejudicada (54,79%), Débito cardíaco diminuído (52,05%) e Dor aguda (50,68%). Conclusões: Os resultados encontrados apresentam semelhança com estudos realizados em outras regiões do país, constituindo-se o passo inicial à implantação do Processo de Enfermagem nesta UTI.

Biografia do Autor

##Prado, P. R.##, Universidade Federal do Acre

Bacharel em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP), Especialista em UTI (FAMERP/SP) e Doutora em Ciências da Saúde pela Escola Paulista de Enfermagem da Universidade Federal de São Paulo (EPE/UNIFESP). Atualmente é Professora Adjunto I da Universidade Federal do Acre (UFAC), Coordenadora da Residência Multiprofissional em UTI e Pesquisadora do Núcleo de estudos, eventos, pesquisas e extensão em Saúde (NEEPES/UFAC) e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Segurança do Paciente (GEPeSP/EERP/USP). Membro da North American Nursing Diagnosis Association (NANDA-I), da Associação Brasileira de Enfermagem em Terapia Intensiva (AMIB/ABENTI) e do Sigma Theta Tau International, Honor Society of Nursing (STTI) . Tem experiência na área de enfermagem em terapia intensiva, emergência, processo de enfermagem e epidemiologia das doenças crônicas.

BETTENCOURT, A. R, Universidade Federal de São Paulo

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo (1983) e doutorado em Ciências Pneumológicas pela Universidade Federal de São Paulo (1998). Atualmente é professora adjunto da Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Médico-Cirúrgica, atuando principalmente nos seguintes temas: pneumologia, infectologia, nefrologia e sistematização da assistência de enfermagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AMARAL, G. L. G, Universidade Federal do Acre

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Acre, Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo, pós graduação em Enfermagem do Trabalho pela Facinter/ Fatec (2012) e Enfermagem em Nefrologia pela UNIFESP (2015). Atualmente é professora auxiliar da Universidade Federal do Acre-UFAC, no curso de Enfermagem. Tem experiência na área de Enfermagem Fundamental, Semiologia e Semiotécnica e Adulto e Idoso. Atuando principalmente nos seguintes temas: diálises, qualidade de vida e saúde do homem.

Referências

REFERÊNCIA

[1] AVILA, L. I.; SILVEIRA, R. S.; LUNARDI, V. L.; FERNANDES, G. F. M.; MANCIA, J. R.; SILVEIRA, J. T. Implications of the visibility of professional nursing practices. Revista Gaúcha Enfermagem, v.34, n.3, p.102-109, 2013.

[2] SOUSA, M. F. Teorias de Enfermagem – Importância para a profissão. Acta Paul. Enf., São Paulo, v.1, n.3, p.63-65, 1988.

[3] SMELTZER, S. C.; BARE, B. G.; HINKLE. J. L.; CHEEVER, K. H. Brunner/Suddarth: tratado de enfermagem médico cirúrgica. 12 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012.

[4] TANNURE, M. C.; GONÇALVES, A. M. P. Sistematização da assistência de enfermagem: guia prático. 2 Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.

[5] HORTA, W. A. Processo de Enfermagem. São Paulo: EPU, 1979.

[6] BELLAGUARDA, M. L. R.; PADILHA, M. I.; PEREIRA NETO, A. F.; PIRES, D.; PERES, M. A. A. Reflexão Sobre a Legitimidade da Autonomia da Enfermagem no Campo das Profissões de Saúde à Luz das Ideias de Eliot Freidson. Esc. Anna Nery, v.17, n.2, p.369-374, 2013.

[7] COFEN. RESOLUÇÃO COFEN-358/2009. 2009. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html. Acesso em: 15 set. 2014.


[8] BARROS, A. L. B. L.; LOPES, J. L. A legislação e a sistematização da assistência de enfermagem. Enfermagem em Foco, v.1, n.2, p.63-65, 2010.

[9] LUCENA, A. F.; BARROS, A. L. B. L. Mapeamento cruzado: uma alternativa para a análise de dados em enfermagem. Acta paul. Enferm, v.18, n.1, p.82-88, 2005.

[10] MASSAROLI, R.; MARTINI, J. G.; MASSAROLI, A., LAZZARI, D. D.; OLIVEIRA, S. N.; CANEVER, B. P. Nursing work in the intensive care unit and its interface with care systematization. Esc. Anna Nery, v. 19, n.2, p.252-258, 2015.

[11] PAVEL, S.; NOLET, D. Manual de terminologia. Canada: Translation Bureau; 2002.

[12] NONINO, F. O. L.; NAPOLEÃO, A. A.; CARVALHO, E. C.; PETRILLI FILHO, J. F. A utilização do mapeamento cruzado na pesquisa de enfermagem: uma revisão da literatura. Rev. bras. enferm., v.61, n.6, p.872-877, 2008.

[13] FERREIRA, A. M. Construção e validação de um instrumento de coleta de dados para avaliação clínica de pacientes em terapia intensiva [tese] - Universidade de São Paulo: Escola de Enfermagem, São Paulo, 2015.

[14] DELANEY, C.; MOORHEAD S. Mapping nursing intervention data into the Nursing Interventions Classification (NIC): process and rules. Iowa City: Nurs Diagn., v.8, n.4, p.152–156, 1997.
[15] HERDMAN, T.H.; KAMITSURU, S. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: definições e classificação 2018-2020/ [NANDA Internacional]. 10 ed. Porto Alegre: Artmed, 2018.
[16] BEZERRA, G; KARLLA A. Unidade de Terapia Intensiva - Perfil das Admissões: Hospital Regional de Guarabira, Paraíba, Brasil. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v.16, n.4, p.491-496, 2012.
[17] OLIVEIRA, F. J. G.; SIQUEIRA, J. F.; RAMOS, I. C.; CAMPOS, F. A.; ORIÁ, M. O. B.; CAETANO, J. Á. Utilização de cateter venoso central em pacientes internados em uma unidade de terapia intensiva. Rev Rene., v.14, n.5, p.904-910, 2013.
[18] SALGADO, P. O. Uso de métodos físicos para tratamento do diagnóstico de enfermagem de hipertermia em pacientes adultos internados em UTI: ensaio clínico controlado randomizado. Tese - Universidade Federal de Minas Gerais: Escola de Enfermagem, Belo Horizonte, 2014.
[19] MELO, E M; OLIVEIRA, T. M. M.; MARQUES, A. M.; FERREIRA, A. M. M.; SILVEIRA, S. M. M.; LIMA, V. F. Patients’ characterization in use of vasoactive drugs hospitalized in intensive care unit. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, v.8, n.3, p.4898-4904, 2016.

[20] BISPO, M. M.; DANTAS, A. L. M.; SILVA, P. K. A.; FERNANDES, M. I. C. D.; TINÔCO, J. D. S.; LIRA, A. L. B. C. Diagnóstico de enfermagem risco de aspiração em pacientes críticos. Esc. Anna Nery, v.20, n.2, p.357-362, 2016.

[21] MELO, E. M.; SALES, I. C. F.; ALMEIDA, D. T.; LIMA, F. E. T.; VERAS, J. E. G. L.; STUDART, R. M. B. Evaluation of nursing records in the water balance of patients in intensive care unit. Rev. Enferm, v.3, n.4, p.35-41, 2014.

[22] TOFFOLETTO, M. C.; BARBOSA, R. L.; ANDOLHE, R.; OLIVEIRA, E. M.; DUCCI, A. J.; PADILHA, K. G. Fatores relacionados à ocorrência de eventos adversos em pacientes idosos críticos. Rev. Bras. Enferm., v.69, n. 6, p. 1039-1045, 2016.

[23] RAMOS, G. S.; SANTANA, L. C.; FERREIRA, P. H. C.; CHIANCA, T. C. M.; GUEDES, H. M. Diagnósticos de enfermagem documentados em prontuários de pacientes em unidade de terapia intensiva. R. Enferm. Cent. O. Min, v.3, n.2, p.679-686, 2013.

[24] CHIANCA, T. C. M.; LIMA, A. P. S.; SALGADO, P. O. Nursing diagnoses identified in inpatients of an adult intensive care unit. Rev. esc. enferm. USP, v.46, n.5, p.1102-1108, 2012.

[25] MATOS, S. S.; FERRAZ, A. F.; GUIMARAES, G. L.; GOLVEIA, V. R.; QUISPE MENDONÇA, I. Y.; SILQUEIRA, S. M. F.; CHIANCA, T. C. M.; CARVALHO, D. V. Heart transplanted patients in mediate postoperative period: nursing diagnoses based on Horta assumptions. REV. SOBECC, v.20, n.4, p.228-235, 2015.

[26] TRIQUEZ, S. L.; DALLACOSTA, F. M. Perfil dos pacientes com insuficiência renal aguda na unidade de terapia intensiva e principais diagnósticos de enfermagem. Unoesc & Ciência – ACBS, Joaçaba, v.3, n.2, p.123-130, 2012.
[27] FERREIRA, A. M.; ROCHA, E. N.; LOPES, C. T., BACHION, M. M.; LOPES, J. L.; BARROS, A. L. B. L. Nursing diagnoses in intensive care: cross-mapping and NANDA-I taxonomy. Rev. Bras. Enferm., v.69, n.2, p.307-315, 2016.

[28] DUTRA, C. S. K.; SILVEIRA, L. M.; SANTOS A. O.; PEREIRA, R.; STABILE, A. M. Diagnósticos de enfermagem prevalentes no paciente internado com sepse no centro de terapia intensiva. Cogitare Enferm, v. 19, n.4, p.747-754, 2014.
Publicado
2020-01-22
Como Citar
##ferreira##, ##charlene.lima##, ##Prado##, ##Patrícia. R., ##Bettencourt##, ##Ana R. de C., & ##Gurgel.Amaral##, ##Gardênia.Lima##. (2020). Assistência de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva: mapeamento dos diagnósticos de enfermagem. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 6(2), 396-413. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/2940
Seção
Artigos Originais Ciências da Saúde