ANTIRRACISMO E EDUCAÇÃO

OS SAMBAS-ENREDO COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE, CULTURA E MEMÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA ESCOLA

Autores

  • Maria Luiza Freitas Marques do Nascimento Secretaria Municipal de Educação do município de Araucária

Palavras-chave:

Escola democrática, Antirracismo, Samba-enredo

Resumo

Neste artigo se propõe, de forma geral, debater o papel da escola na construção da sociedade democrática, haja vista que “enquanto houver racismo, não haverá democracia”. Palavra de ordem emitida pelo movimento negro brasileiro organizado. Objetiva-se especificamente apontar uma proposta política e pedagógica para colocar em prática as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Para isso, apresentamos dois sambas-enredos de escolas de samba cariocas (desfiles de 2019 e 2020), cujas letras foram analisadas a partir de duas categorias: memória e referências positivas do povo negro (africano e afro-brasileiro); perspectiva dos povos não brancos sobre a história coletiva do Brasil. Destacamos a música como uma ferramenta pedagógica pela facilidade dos educadores que lecionam em municípios interiorizados terão para acessar as letras e canções nas plataformas digitais, diferentemente do esforço necessário para chegar a ambientes pedagógicos físicos, como museus e exposições que normalmente se encontram nos grandes centros urbanos brasileiros. Como pressupostos teóricos, utilizamos os estudos de Munanga (2005), Fernandes (2017) e Lima (2013).  

 

Referências

ARROYO, M. G. Educação e exclusão da cidadania. In: BUFFA, E.; ARROYO, M. G.; NOSELLA, P. Educação e cidadania: quem educa o cidadão? São Paulo: Cortez, 1993.

BARRETO, Raquel. Enegrecendo o Feminismo ou Feminizando a raça: Narrativas de Libertação em Angela Davis e Lélia Gonzalez. (Dissertação) Programa de Pós-Graduação em História Social da Cultura, PUC/Rio, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação/Secad. Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana na educação básica. Brasília, 2004.

COALIZÃO NEGRA POR DIREITOS. Enquanto houver racismo não haverá democracia, jun. de 2020. Disponível em: https://comracismonaohademocracia.org.br/. Acesso em: 20 mai. 2021.

COELHO, Mauro Cezar; COELHO, Wilma de Nazaré Baía. As licenciaturas em História e a Lei 10.639/03 - percursos de formação para o trato com a diferença? Educ. rev., Belo Horizonte, v.34, e192224, 2018.

DADINHO; MACHADO, L.; SEIXAS, R.; MANOLO; ALVES, A. C. F. e. Viradouro de Alma Lavada. Disponível em: http://liesa.globo.com/carnaval/escolas/viradouro/samba-enredo.html. Acesso em: 11 mai. 2021.

DOMÊNICO, D.; MIRANDA, T.; MAMA; BOLA, M.; OLIVEIRA, R.; FIRMINO, D. História para ninar gente grande. Disponível em: https://liesa.globo.com/2019/por/03-carnaval/sambasenredo/mangueira/mangueira.html. Acesso em: 11 mai. 2021.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FERNANDES, Florestan. O significado do protesto negro. São Paulo: Expressão Popular, coedição Editora da Fundação Perseu Abramo, 2017.

FERREIRA, Marcus; ZANON, Tarcísio; RICARDO, Igor. Histórico do enredo (Viradouro). Rio de Janeiro: LIESA. Livro Abre-Alas, 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Conheça o Brasil – População: Cor ou Raça. IBGE educa, s/d. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18319-cor-ou-raca.html. Acesso em: 11 mai. 2021.

LIGA INDEPENDENTE DAS ESCOLAS DE SAMBA (LIESA). A LIESA. Rio de Janeiro: LIESANET, 2020. Disponível em: http://liesa.globo.com/a-liesa/. Acesso em: 09 mai. 2021.

LIMA, Augusto. Samba, história e a questão racial e social. In: BRAZ, Marcelo (org.). Samba, cultura e sociedade: sambistas e trabalhadores entre a questão social e a questão cultural no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

MUNANGA, Kabengele (Org.) Superando o Racismo na escola. 2ª edição revisada. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

PEREIRA, Amilcar Araújo. “Por uma autêntica democracia racial!”:os movimentos negros nas escolas e nos currículos de história. Revista História Hoje, v. 1, nº 1, p. 111-128, 2012.

PEREIRA, Amilcar Araújo. Resistência também dentro da escola. Revista de História (Rio de Janeiro), v. 101, p. 80-83, 2014.

SILVA, Ana Célia. A desconstrução da discriminação no livro didático. In: MUNANGA, Kabengele (Org.) Superando o Racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

SODRÉ, Muniz. O dono do corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

TINHORÃO, José Ramos. Pequena história da música popular. São Paulo: Círculo do livro, 1975.

VIEIRA, Leandro. “História para ninar gente grande”. Rio de Janeiro: LIESANET, 2019.

VIRADOURO. Viradouro de alma lavada. Livro Abre-Alas (Domingo), 2020, p. 43-112.

Downloads

Publicado

2021-11-01

Como Citar

Freitas Marques do Nascimento, M. L. (2021). ANTIRRACISMO E EDUCAÇÃO: OS SAMBAS-ENREDO COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE, CULTURA E MEMÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA ESCOLA. Revista Em Favor De Igualdade Racial, 4(3), 129–144. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/RFIR/article/view/5046

Edição

Seção

ARTIGOS