JOGOS NA ETNOMATEMÁTICA

UM MODO DE RESSIGNIFICAR O OLHAR DE ÁFRICA EM SALA DE AULA

  • Luciana Jesus de Souza SME-RJ
  • Roberta dos Santos Alves SME- RJ

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo levar estratégias da infância, neste caso os jogos, para dialogar com sistemas mais complexos da educação. Fazendo uso da etnomatemática e tendo como aporte a Lei Federal 10.639/03 que versa sobre a obrigatoriedade do ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira, e pensando em sua abordagem para o primeiro segmento do Ensino Fundamental. Este estudo visa trabalhar elementos como a etnomatemática segundo D’Ambrósio (2005), fazendo uso de etnoaprendizagens analisada por Macedo; Sá (2015) para efetivamente não só lançar conceitos caros ao segmento do Ensino Fundamental como a ludicidade defendida por Macedo (2007) e Santos (2014), mas como aporte cultural para um maior entendimento sobre o continente africano, de forma que o ensino atravesse as disciplinas com conceitos pluriversais e afrocentrados apontados por Noguera (2010;2012). A metodologia apresentada neste trabalho baseia-se em bibliografias e no uso dos jogos de origem africana em sala de aula. Onde se observa não só como jogos e regras, mas que tragam sua ancestralidade no bojo das práticas pedagógicas e a ampliação de um pensamento com desconstrução da lógica colonial.

Biografia do Autor

Luciana Jesus de Souza, SME-RJ

Pós-graduanda em História pela UFRJ, graduada em Pedagogia pela UNIRIO e em História pela UNISUAM. Especialista em História e Cultura Afro-Brasileira pela UCAM. Coordenadora Pedagógica na Secretaria Municipal do Rio de Janeiro.

Roberta dos Santos Alves, SME- RJ

Pós-graduanda em Psicopedagogia pela Universidade Cândido Mendes – UCAM e graduada em Pedagogia pela Universidade Paulista -UNIP. Professora do Ensino Fundamental da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

Publicado
2021-01-29
Como Citar
Jesus de Souza, L., & dos Santos Alves , R. (2021). JOGOS NA ETNOMATEMÁTICA: UM MODO DE RESSIGNIFICAR O OLHAR DE ÁFRICA EM SALA DE AULA. Revista Em Favor De Igualdade Racial, 4(1), 102-115. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/RFIR/article/view/4167
Seção
ARTIGOS