“PRETO NÃO É BURRO PARA PRECISAR DE COTA”

A NATURALIZAÇÃO DO RACISMO PRESENCIADO NA FALA DA SOCIEDADE ACREANA

  • Maynara De Souza Melo Universidade Federal do Acre

Resumo

Este artigo trata-se de uma pesquisa em andamento que tem como objetivo apresentar dados acerca da participação forçada dos negros no Brasil Colonial e como ao longo da história de nossa sociedade foi-se construindo com pré-conceitos acumulados durante todos esses anos de normatização da inferiorização dos negros. O Brasil, país com a segunda maior população negra do mundo, ainda vive preso em sua política de branqueamento do estado, tentando amenizar os pretos, como pardos, morenos, mulatos. É comum no cotidiano ouvirmos frases de efeito, reproduzidas de uma sociedade que não percebe seu racismo. Neste artigo, busca-se relatar as falas de diversos sujeitos Acreanos alunos da Universidade Federal do Acre em que se presenciou atos ou falas racistas, de pessoas que se dizem não racistas.

PALAVRAS-CHAVE: Raças. Racismo. Relatos.

Publicado
2020-06-10