CONSTRUÇÃO DO MITO LUÍSA MAHIN A PARTIR DOS FRAGMENTOS DE MEMÓRIA DO LUIZ GAMA

  • Silnara Kelly Santos Faustino Universidade Federal de São João Del Rei

Resumo

Este artigo tem como objetivo descrever a construção de um mito: Luísa Mahin; a partir dos registros escritos por Luiz Gama, intelectual autodidata do século XIX, filho da ilustre Luísa.  Segundo o próprio Luiz Gama, a convivência com sua mãe se deu nos primeiros sete anos, dos seus cinquenta e dois vividos. Por conta do pouco tempo em que estiveram juntos, é possível presumir que muitos desses relatos se deram por fragmentos de sua memória. A partir das palavras de Gama, mesmo sem comprovações históricas, nasceu Mahin; uma mãe que nascera do próprio filho. Conforme suas próprias palavras, era filho de uma negra africana de nome Luísa Mahin, uma mulher forte e plural, que foi quitandeira laboriosa e também revolucionária em insurreições escravas. A riqueza de detalhes, com a qual descreve sua mãe, gera, mesmo sem comprovações históricas, um efeito de veracidade e consequentemente uma crença em sua existência. Além da carta, ela também aparece em versos de alguns poemas de Gama, o que também revela sua figura como inspiração para filho, principalmente nas obras em que aborda sua luta pela abolição e libertação de negros escravizados. O mito Luísa Mahin, é hoje evocada pelo movimento negro, atendendo a uma demanda que busca o protagonismo negro na história do País, e em especial, a necessidade de valorização da mulher negra na história.  

Biografia do Autor

Silnara Kelly Santos Faustino, Universidade Federal de São João Del Rei
Aluna do curso de bacharelado em História, Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ
Publicado
2021-01-29
Como Citar
Santos Faustino, S. K. (2021). CONSTRUÇÃO DO MITO LUÍSA MAHIN A PARTIR DOS FRAGMENTOS DE MEMÓRIA DO LUIZ GAMA. Revista Em Favor De Igualdade Racial, 4(1), 169-178. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/RFIR/article/view/3242
Seção
ARTIGOS