OUTRAS ARTES DE CURAR

DISCUSSÕES ACERCA DA SAÚDE NO ACRE DURANTE A DÉCADA DE 1940 a 1960

  • RODRIGO DE SOUSA DA SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo realizar uma discussão acerca da estrutura de saúde no Acre Território, durante o período de 1940 a 1960. Nessa discussão será abordado a respeitos das outras artes de curar, que são práticas de cura que estão presentes no meio social, porém não é possível datar o seu início. A utilização dessas artes no processo de cura, a miscigenação de elementos entre a cultura nativa e diversos atores sociais perpassa por um leque de saberes empíricos, saberes esses que estavam presentes no auxílio e tratamento de doenças no Acre Território. Dentro da pesquisa utilizaremos jornais como fontes, por exemplo, os periódicos o Acre e o Rebate. Assim como uma revisita bibliográfica sobre o assunto. É importante discutimos a presença desses saberes de cura, pois, demonstrar a necessidade de sua existência mediante a fragilidade na saúde pública como na falta de médicos e medicamentos, é essencial para compreender a atuação desse saber na localidade. Mesmo com o objetivo de tratar enfermidades, ocorre contraste e atritos em relação ao seu uso. Percebemos tal relação através do decreto de n °2.848, de 07 de dezembro de 1940. Para a construção do debate se faz uso de autores como Sérgio Roberto Gomes de Souza, Júlio César Schweickardt e Kalil Rahuam de Figueiredo Bittencourt. A pesquisa demonstra uma fragilidade dentro da estrutura de saúde no Acre territorial, com a presença de doenças como a Malária e a Sífilis que trarão preocupações, para combate-las, se fará uso de saberes empíricos e de bebidas como elixis. Porém, a presença de agentes sociais será fundamental no processo de cura, a exemplo de padres, que prestarão auxílio em aspectos relacionados a saúde.

Biografia do Autor

RODRIGO DE SOUSA DA SILVA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE

Acadêmico do curso de Bacharelado em História da Universidade Federal do Acre.

Publicado
2019-11-18