Seleção genotípica de variedades de milho via metodologia de modelos mistos

Autores

Resumo

Uma das técnicas utilizadas que tem evoluído em programas de melhoramento vegetal trata-se da análise via modelos mistos. A seleção de cultivares utilizando esta metodologia permite inferências mais precisas e realista acerca da avaliação genotípica dos genótipos superiores para de seleção. O objetivo deste trabalho foi selecionar genótipos de milho (Zea mays L.) de quatro safras do programa de melhoramento da Embrapa Acre, utilizando a metodologia de modelos mistos - REML/BLUP. Os experimentos foram conduzidos no campo Experimental da Embrapa Acre. O delineamento utilizado foi em látice retangular 5x6, com duas repetições. Utilizaram-se dados de produtividade de grãos de 78 variedades testadas no ensaio Nacional de milho nos anos 2013/2014, 2014/2015, 2015/2016, 2017/2018. Utilizou-se o modelo MHVG para estimar a estabilidade genotípica. Utilizou-se o software Selegem REML/BLUP para as análises estatístico-genéticas. Nos quatro anos verificou-se que as variedades não superaram as médias de produção dos híbridos. O ordenamento dos genótipos coincidiu nos quatro anos de avaliação indicando comportamento amplo das cultivares. A metodologia de modelos mistos foi eficiente na avaliação dos ensaios de valor de cultivo e uso, auxiliando na seleção e descarte de cultivares a cada ano agrícola. Os genótipos BRS 1055 e HTCMS-SP1 são os selecionados.

Downloads

Publicado

2021-03-20

Edição

Seção

Artigos Científicos