Vacinação contra febre amarela em um município amazônico: prevalência e fatores associados (Mâncio Lima, Acre, 2012)

Autores

  • Cinndy Geovana Castro Aguiar Universidade Federal do Acre
  • Wagner Werner Klein Universidade Federal do Acre
  • Athaid David Escalante Cayotopa Universidade Federal do Acre
  • Mardelson Nery de Souza Universidade Federal do Acre
  • Aline Ferreira da Silva Universidade Federal do Acre
  • Paula Rubia Jornada Bastos Universidade Federal do Acre
  • Mônica da Silva-Nunes Universidade Federal do Acre

Resumo

A febre amarela é uma doença infecciosa aguda, febril, não contagiosa que se mantém endêmica nas florestas tropicais do continente americano e na África e causa periodicamente surtos isolados ou epidemias de impacto em saúde pública nesses locais. O objetivo deste estudo foi avaliar o estado vacinal da febre amarela numa amostra de indivíduos da área urbana do município de Mâncio Lima, Acre, uma área endêmica da doença, e os fatores associados a vacinação. O presente trabalho trata-se de um estudo transversal efetuado em 2012. Ademais, foram obtido resultados sobre a relação dos fatores associados com tomar a vacina da febre amarela com a idade, trabalho remunerado nos últimos 90 dias (p<0,001), anos de escolaridade (p=0,016) tipo de teto da casa (p=0,007), ter lixo coletado pelo serviço público (p=0,032) ter aparelho de som (p=0,024), ter rede (p=0,011), forma de renda formal (p=0,025), caçar para consumo próprio (p=0,010) e ocupação atual (p<0,001). Além disso, há no estudo uma carência de informação pois muitos adultos não sabiam mais informar se já haviam tomado a vacina e nem possuíam mais a carteira de vacinação. Concluiu-se que das 599 pessoas entrevistadas, 493 vacinaram contra febre amarela enquanto 106 não vacinaram.

Downloads

Publicado

2021-03-20

Edição

Seção

Artigos Científicos