Educação especial inclusiva: um olhar sobre a realidade de duas escolas públicas de Rio Branco - Acre

  • Leoneide Rodrigues Falcão
  • Carlos Eduardo Garção de Carvalho
  • Gahelyka Aghta Pantano Souza
  • Alcides Loureiro Santos
  • Edilson Simões Cadaxo Sobrinho
  • Delcio Dias Marques

Resumo

A educação inclusiva existe oficialmente no Brasil desde 1854, quando Dom Pedro II fundou o Imperial Instituto dos Meninos Cegos (atualmente Instituto Benjamim Constant - IBC). As décadas de 1960 a 1980 foram marcadas por significativos avanços no regramento legal brasileiro para a educação inclusiva. Em 1988, a Constituição Brasileira determinou a garantiria da oferta do atendimento educacional especializado, estabelecendo a integração escolar e o atendimento às pessoas com deficiência, preferencialmente, na rede regular de ensino. Nos moldes de uma pesquisa de abordagem qualitativa, este trabalho tem como objetivo investigar como os professores de duas escolas públicas de ensino fundamental de Rio Branco - AC, se adaptaram em sala de aula com as diversidades de alunos com necessidades educacionais especiais. A coleta dos dados foi dividida em dois momentos: observação da rotina dos professores e aplicação de um questionário semiestruturado com 6 questões fechadas e 5 dissertativas. Os resultados indicam uma fração das dificuldades enfrentadas pelos docentes em sala de aula, que pode ser pela quase nenhuma formação recebida durante a graduação para lidar com a diversidade de necessidades especiais, pela falta de conhecimento da legislação e por não haver recursos didáticos necessários a serem utilizados em sala de aula.

Publicado
2020-05-07
Seção
Artigos Científicos