ANÁLISE ECONOMÉTRICA DA RELAÇÃO ENTRE A RENDA NACIONAL BRUTA E O CONSUMO DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS NO PERÍODO DE 2000 A 2017

  • Thaiane Cristino de Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR GRUPO PET ECONOMIA/UNIR
  • Walberti Saith UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR
  • Jonas Cardoso UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR

Resumo

A relação existente entre o consumo e a renda é chamada de função consumo, por meio da qual é possível observar o efeito de uma variação da renda no consumo das famílias. Nesse sentido, o artigo trata-se de um estudo econométrico com o objetivo de estimar e analisar a função consumo, descrevendo os efeitos que um aumento na renda tem sobre o consumo das famílias brasileiras. O modelo econométrico utilizado para a análise dos dados foi de uma regressão linear simples. A pesquisa é de natureza quantitativa e foi realizada através do levantamento de dados secundários fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados indicam que o aumento de um real na Renda Nacional Bruta provoca, em média, um aumento de cerca de R$ 0,64 centavos no consumo das famílias, mais precisamente no componente Despesas de Consumo das Famílias. Dessa maneira, conclui-se que, se a propensão marginal a consumir é de 64%, então a propensão marginal a poupar das famílias é de 36%.

Biografia do Autor

Jonas Cardoso, UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR

Tutor do PET Economia e Docente do Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Rondônia

Publicado
2019-11-04
Como Citar
Thaiane Cristino de Souza, Walberti Saith, & Jonas Cardoso. (2019). ANÁLISE ECONOMÉTRICA DA RELAÇÃO ENTRE A RENDA NACIONAL BRUTA E O CONSUMO DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS NO PERÍODO DE 2000 A 2017. ARIGÓ - Revista Do Grupo PET E Acadêmicos De Geografia Da Ufac, 2(1), 44-46. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/arigoufac/article/view/3042