A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES

  • Gabrielly Beatriz da Silva de Araújo Universidade Federal do Acre

Resumo

No presente artigo, propõe-se mostrar a importância do estágio supervisionado para a formação de professores, utilizando-se de técnicas de ensino-aprendizagem para obtenção de resultados satisfatórios. A pesquisa foi realizada na escola de Ensino Fundamental II Marilda Gouveia Viana, sendo o público alvo o 9º ano, turma ‘’ A’’, para isso, foi necessário dividi-la em etapas, sendo elas: a observação do ambiente escolar da turma; escolha dos recursos didáticos, procedimentos metodológicos e habilidades; por fim, os resultados adquiridos após a realização das regências.  Os resultados revelaram que, a utilização de metodologias que envolva atividades em grupo estimula a interação social e a compreensão através do compartilhamento de informações e experiências sobre o assunto tratado; a forma ativa, compreensiva e construtiva, estimulando o pensamento operatório chamou a atenção dos alunos a partir das aulas expositivas dialogadas, estimulando a participação e a colaboração com o plano de aula proposto, o domínio de recursos didáticos diversificados, de habilidades e colaboração da sala de aula, proporcionou resultados de aprendizagem satisfatórios. Portanto, conclui-se que o Estágio Curricular Supervisionado em Geografia II é, impreterivelmente, um momento onde os futuros professores podem exercitar aspectos que ele ache importante desenvolver no campo de trabalho, e se redescobrir como educador, desenvolvendo uma didática que seja mais adequada ao seu perfil pedagógico, fazendo com que a mesma alcance resultados positivos na aprendizagem dos alunos.

Palavras-chaves: Geografia e Ensino; Estágio Supervisionado; Metodologias de Ensino.

Referências

CORTE, Anelise C. dalla; LEMKE, Cibele K.. O estágio Supervisionado e sua importância para a formação docente frente aos novos desafios de ensinar. Educere, Brasília, v. 31, n. 3, p.31002-31010, 29 out. 2015.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez Editora, 1999. (p. 15 a 34).

MALYSZ, Sandra T. Estágio em parceria universidade-educação básica. São Paulo, Contexto, 2007.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria do Socorro Lucena. Estágio e docência. In: ___. Estágio: diferentes concepções. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 2012.

SANTOS, Rita de Cássia Evangelista dos; CHIAPETTI, Rita Jaqueline Nogueira. Uma investigação sobre o uso das diversas linguagens no ensino de Geografia: uma interface teoria e prática. Geografia Ensino & Pesquisa, Itabuna, v. 15, n. 3, p.167-183, set. 2011.

TOMITA, Luzia M. Saito. Trabalho de campo como instrumento de ensino em Geografia'. Geografia, Londrina, v. 8, n. 1, p.13-15, jun. 1999.

ACRE. Secretaria de Estado de Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Fundamental: caderno 1 - geografia. Rio Branco: SEE, 2010. (Série Cadernos de Orientação Curricular).

LDB. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. 56 p.

ACRE. Secretaria de Estado de Educação e Esporte. Sequência didática 9º ano. Unidade de Ensino: Marilda Gouveia Viana. 2018, 7 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf>. Acesso em: abril. 2018.

Publicado
2018-09-25