https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/issue/feed Scientia Naturalis 2020-11-09T15:52:45-05:00 Delcio Dias Marques delcio.marques@ufac.br Open Journal Systems <p>A revista eletrônica <strong>Scientia Naturalis</strong>, do Centro de Ciências Biológicas e da Natureza - CCBN/UFAC, destina-se a publicação de trabalhos científicos originados de pesquisas nas áreas de Química, Física, Ciências Biológicas, Ciências Agrárias e Ensino de Ciências, nas modalidades de artigos científicos, relatos de experiência, notas técnicas e assuntos gerais. O periódico é apresentado à comunidade acadêmico-científica em edições regulares semestrais, como também eventuais edições suplementares, para publicação de manuscritos completos em temáticas relevantes e atuais, além de anais de eventos científicos nacionais e internacionais, dentro das áreas de interesse da revista.<br><br><strong>| Ano de criação:&nbsp;</strong>2019&nbsp; <strong>|</strong>&nbsp;&nbsp;<strong>Periodicidade:</strong>&nbsp;Semestral&nbsp; <strong>|</strong>&nbsp; <strong>ISSN:</strong> 2596-1640 <strong>|</strong></p> <p><strong>A revista está sempre aberta para submissões. Para a edição Nº 1 Vol. 3, estaremos considerando para avaliação os trabalhos submetidos até 15/01/2021. Previsão de publicação: março/2021.</strong></p> <p><a href="https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/user/register">Cadastro</a>&nbsp; &nbsp;<a href="https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/about/submissions#authorGuidelines">Diretrizes para autores</a></p> https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3671 Capacidade de dispersão e autoperpetuação de espécies arbóreas cultivadas no Parque Zoobotânico da Universidade Federal do Acre 2020-11-09T15:03:20-05:00 Veronica Telma da Rocha Passos veronica.passos@ufac.br Harley Araújo da SIlva harley.assilva@gmail.com Marcio Moura da Costa marciomourac@gmail.com <p>A regeneração natural de uma área dentre outros fatores, depende do seu potencial florístico e da presença de polinizadores e dispersores. Este trabalho visa avaliar a capacidade de autoperpetuação das espécies arbóreas do Parque Zoobotânico (PZ) sob o ponto de vista da presença ou ausência dos dispersores. Os dados foram obtidos através de entrevistas aos técnicos do PZ e comparados com a literatura científica. Como resultado obtivemos 29 espécies e/ou gêneros que atuam como dispersores de sementes. Quase 90% das espécies arbóreas analisadas têm dispersores conhecidos na área. Das 42 essências florestais analisadas, 27 (65%) possuem maior chance de se perpetuar na área do PZ, tomando por base a abundância de seus principais dispersores, a saber, paca e/ou cutia. Para as essências envireira seda (<em>Schoenobiblus peruvianus</em>), cernambi de índio (<em>Drypetes amazonica</em>) e caviúna sem espinho (<em>Dalbergia inundata</em>) os dispersores naturais não são conhecidos pelos respondentes nem foi encontrada esta informação na literatura científica.</p> 2020-08-24T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3743 Produtividade de pepino em cultivo orgânico utilizando mudas produzidas com diferentes volumes de substrato 2020-11-09T15:07:03-05:00 Anderson de Oliveira Souza andersonsuperted@gamil.com Regina Lúcia Félix Ferreira reginalff@yahoo.com.br Sebastião Elviro Araújo Neto selviro2000@yahoo.com.br Gabriela da Silva Tamwing gaby_tamwing@gmail.com <p>O objetivo desta pesquisa foi avaliar o efeito do volume de substrato na produção da muda sobre a produtividade de pepino (Híbrido Nagai) em cultivo orgânico. O experimento foi instalado no Sítio Ecológico Seridó, em Rio Branco, Acre, em delineamento em blocos completos casualizados com quatro repetições e seis plantas por parcela. Cinco volumes de substratos (114, 285, 456, 627 e 798 cm³) foram testados. As mudas foram transplantadas 26 dias após a semeadura em espaçamento de 0,90 x 0,50 m. Entre 26 e 85 dias após o transplantio foram avaliados número de frutos comerciais, massa de frutos comerciais, produtividade total e produtividade comercial. Não houve diferença significativa entre os tratamentos para o número e a massa de frutos comerciais. A produtividade total de pepino em pleno sol foi influenciada pela qualidade da muda produzida com diferentes volumes de substratos, respondendo em função quadrática com ponto de máxima em 577 cm³ de substrato, com produtividade total de 27.138,75 t ha-<sup>1</sup>. A produtividade comercial respondeu a função linear, com acréscimos de 12,85 kg ha<sup>-1</sup> para o aumento de cada cm³ de substrato, alcançando produtividade comercial de 24.002,8 kg ha<sup>-1</sup>.</p> 2020-08-24T12:17:43-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3747 Análise da concentração de sódio de águas de coco in natura e processada comercializadas em Juazeiro do Norte, CE 2020-11-09T15:08:27-05:00 Irineu Ferreira da Silva Neto anaemiliaformiga@hotmail.com Inácia Bruna Leite anaemiliaformiga@hotmail.com Ana Emília Formiga Marques anaemiliaformiga@hotmail.com <p>O coqueiro (<em>Cocos nucifera </em>L<em>.</em>) é uma árvore utilizada em diversas partes do mundo, principalmente fornecendo água, para a retirada <em>in natura</em>, ou para o processamento e industrialização. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar os teores de sódio em amostras de água de coco processadas e <em>in natura</em> comercializadas na cidade de Juazeiro do Norte, CE. Para isso, as amostram foram adquiridas no comercio local, na versão industrializada, de três marcas diferentes, nomeadas em marca A, B, e C. Já as amostras <em>in natura</em> foram adquiridas na feira livre, nomeadas em amostras D e E. Para quantificar o teor de sódio utilizou-se o método de Mohr, uma titulação de precipitação que permite avaliar o percentual de sódio na forma de cloreto de sódio. As versões industrializadas mostraram-se dentro das concentrações descritas nos rótulos, porém, ao comparar com a água <em>in natura</em> a concentração de sódio tem níveis superiores. O teor médio de sódio das amostras processadas foi de 29,6 mg, enquanto nas amostras <em>in natura</em> foi de 14,4 mg. É necessário a averiguação efetiva do teor descrito nas embalagens para que os consumidores tenham consciência e consigam mensurar o quanto estão ingerindo.</p> 2020-08-24T12:30:13-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3772 Diferentes composições e volume de substrato na produção e qualidade de mudas de alface 2020-11-09T15:09:37-05:00 Porfírio Ponciano de Oliveira Júnior ponciano_junior@hotmail.com Regina Lúcia Félix Ferreira reginalff@yahoo.com.br Sebastião Elviro Araújo Neto selviro2000@yahoo.com.br Shumacher Andrade ponciano_junior@hotmail.com Fábio Batista de Lima ponciano_junior@hotmail.com Kelly Nascimento Leite ponciano_junior@hotmail.com <p>O presente trabalho objetivou avaliar a qualidade da muda de alface utilizando diferentes composições e volume de substrato. Para condução do experimento foi utilizado delineamento em blocos casualizados, em esquema fatorial 4x4, combinando diferentes volumes de substrato (50 cm³, 150 cm³, 250 cm³ e 350 cm³) e concentrações de composto orgânico (30%, 45%, 60%, 75%). Houve interação entre os fatores nas variáveis massa seca da raiz, massa seca total e índice de qualidade de Dickson, e os ganhos de qualidade foram de 0,0006 (MSR) g/planta, 0,0005 (MST) g/planta e 0,0002 (IQD) para cada percentagem de composto orgânico e cm<sup>3</sup> de volume de recipiente acrescidos. Já nas variáveis, número de folhas, altura de plantas e diâmetro do caule, foram encontrados os volumes de recipiente, com pontos de máximo de produtividade em: 480 cm³ com 6,14 (NF), 550 cm³ com 11,29 cm (AP) e 330 cm³ com 4,20 mm (DC). A elevação da percentagem de composto orgânico e do volume de substrato proporciona ganhos de qualidade e produtividade. E os volumes de substrato de 550 cm³, 480 cm³, e 330 cm³ proporcionaram as maiores alturas de plantas, número de folhas e diâmetro de caule, respectivamente.</p> 2020-08-24T12:47:42-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3773 Rendimento de alface em ambientes de cultivo utilizando mudas produzidas com volume crescente de substrato 2020-11-09T15:10:40-05:00 Porfírio Ponciano de Oliveira Júnior ponciano_junior@hotmail.com Regina Lúcia Félix Ferreira reginalff@yahoo.com.br Sebastião Elviro Araújo Neto selviro2000@yahoo.com.br Luís Gustavo de Souza e Souza gustavo_souza_fj@hotmail.com <p>A busca de tecnologias para o cultivo orgânico de alface, é necessário para o aumento da produção. Assim este trabalho teve como objetivo, avaliar a produtividade de alface crespa cv. Vera, em ambientes de cultivo, com mudas produzidas com volumes crescentes de substrato. O experimento foi realizado no Sítio Ecológico Seridó, Rio Branco, AC. Instalado em dois ambientes de cultivo: estufa coberta e com laterais fechada e estufa apenas coberta por filme aditivado. O delineamento utilizado foi em blocos inteiramente casualizados, com cinco volumes de substrato: 70 cm<sup>3</sup>, 160 cm<sup>3</sup>, 250 cm<sup>3</sup>, 340 cm<sup>3</sup> e 430 cm<sup>3</sup>, com quatro repetições para cada ambiente de cultivo. A colheita foi realizada 55 dias após a semeadura e avaliado: massa fresca total e comercial e produtividade total e comercial. A estufa com as laterais abertas apresentou melhor desempenho em todas das variáveis analisadas. Obteve-se maior massa fresca total para o recipiente de 400 cm³ (229,956 g planta<sup>-1</sup>) e massa fresca comercial foi o de 360 cm³ (174,073 g planta-1). Assim no cultivo de alface obtém-se maior rendimento no ambiente de estufa com laterais abertas. E maior produtividade comercial (13,8 t ha<sup>-1</sup>) é obtida com mudas produzidas com volume de 370 cm³ de substrato.</p> 2020-08-24T13:00:22-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3820 Os objetos de aprendizagem no ensino de química: um levantamento exploratório junto a professores do ensino médio 2020-11-09T15:16:00-05:00 Thiago Rodrigues de Sá Alves thiago.pigead@gmail.com <p>O ensino de Química ainda é visto por parte dos alunos como de difícil compreensão e sem nenhuma conexão com o seu cotidiano. Um caminho para desconstruir essa ideia e tornar o ensino mais relevante é a utilização de Objetos de Aprendizagem (OAs) nas aulas de Química. A presente pesquisa utilizou um levantamento (survey) exploratório com 12 professores que atuam no programa Nova Educação de Jovens e Adultos (NEJA) por meio da ferramenta <em>Google Forms</em> e buscou analisar as formas de utilização, a eficácia e os desafios destes professores quanto ao uso dos OAs nas aulas de Química. Identificou-se que 11 professores utilizam os OAs em suas aulas, sendo as simulações, as <em>apresentações em slides com power point</em> e os <em>vídeos</em>, os objetos mais citados. Muitos professores mencionaram que por meio da contextualização, da interatividade e da criatividade dos alunos, pode-se ter uma aprendizagem mais significativa. Por outro lado, alguns relataram que a maior dificuldade é a ausência de recursos tecnológicos para se usar os objetos, assim como a dificuldade de se agendar as salas de informática e a falta de praticidade, pois ainda se sentem inseguros ao trabalhar em sala de aula com os OAs.</p> <p>&nbsp;</p> 2020-08-24T15:22:45-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3861 Efeito de nanopartículas metálicas na criação de agregados e nas características ópticas de Rodamina 6G 2020-11-09T15:19:27-05:00 Carlos Henrique Moreira Lima chenrique.chml@gmail.com <p>Neste trabalho estudamos os efeitos das concentrações de corante xanteno Rodamina 6G (Rh-6G) e de nanopartículas (NPs) de Au (ouro) e Ag (prata) sobre as propriedades ópticas da Rh-6G. Os estudos foram realizados em três conjuntos de amostras: conjunto Rn composto por solução aquosa de Rh-6G com variação de sua concentração, conjunto AuRn composto por concentração fixa de nanopartículas de ouro (NPsAu) inseridas em solução aquosa de Rh-6G, variamos a concentração do corante e o conjunto híbrido de NPs de prata e solução aquosa de Rh-6G com uma concentração fixa de NPsAg e variação da concentração de Rh-6G. Para estes estudos usamos espectroscopia por meio de medidas de absorção e luminescência. Através da análise do conjunto com apenas Rh-6G concluímos que a formação de agregados está relacionada com a concentração da rodamina 6G quanto mais alta for a concentração de Rh-6G maior é a formação de agregados. Quando inseridas as nanopartículas metálicas em Rh-6G os efeitos de NPsAu e NPsAg sobre as propriedades ópticas de Rh-6G também apresentam formação de agregados, mas quando comparada com conjunto Rh-6G percebemos que a formação diminui. Concluímos que o comportamento obtido para soluções aquosas de Rh-6G com NPsAu e NPsAg diminuem a formação de agregados.</p> 2020-08-24T14:31:44-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4036 Desempenho de cultivares de rabanete em sistema orgânico no Acre 2020-11-09T15:20:28-05:00 Luís Gustavo de Souza e Souza gustavo_souza_fj@hotmail.com Sebastião Elviro de Araújo Neto selviro2000@yahoo.com.br Regina Lúcia Felix Ferreira reginalff@yahoo.com.br Grêta Marino gretamarino25@gmail.com Isadora Costa da Silva Brito isadoracosta374@gmail.com Maria Izabel de Freitas Lins Rezende bebelflr@gmail.com Geazí Penha Pinto geazi.pinto@ifac.edu.br <p>Para o desenvolvimento da produção e da pesquisa em cultivo orgânico de rabanete, faz-se necessário, conhecer as cultivares de melhores rendimentos nas condições climáticas da região. Assim o objetivo desse trabalho foi avaliar o desempenho de cultivares de rabanete em sistema orgânico no Acre. O experimento foi conduzido no delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. Foram testadas as cultivares de rabanete: Crimson gigante; Sparkler; Cometa; Meio comprido amager; Vip Crimson seleção especial; Jolly red vermelho; Redondo; Comprido vermelho; Saxa; Meio comprido; Gigante siculo e os hibridos: Margaret Queen e Novella, totalizando 13 tratamentos. A cultivar Cometa apresentou maior produtividade total (2,33 kg m<sup>-2</sup>) e juntamente com a Comprido vermelho, Meio comprido, Crimson gigante, Gigante siculo e os híbridos Novella e Margaret, apresentaram resultados superiores para produtividade comercial, com média de 0,71 kg m<sup>-2</sup>. Desse modo para cultivo de rabanete em sistema orgânico no Acre recomenda-se as cultivares Cometa, Comprido vermelho, Meio comprido, Gigante siculo, Crimson gigante e os híbridos Novella e Margaret Queen.</p> 2020-08-24T14:42:46-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4046 Impactos do uso público e das atividades de pesquisa nas trilhas do Parque Zoobotânico - Ufac 2020-11-09T15:21:42-05:00 Harley Araújo da Silva harley.assilva@gmail.com Veronica Telma da Rocha Passos veronica.passos@ufac.br Rafael Silva Souza rafa-d12@hotmail.com <p>As trilhas do Parque Zoobotânico (PZ) da Universidade Federal do Acre são utilizadas por pesquisadores, professores e estudantes em atividades de ensino, pesquisa e extensão e pela comunidade em geral em visitas orientadas. Dessa forma, esse trabalho objetivou identificar os impactos das atividades de pesquisa e uso público nas trilhas do PZ. Para isso a Trilha Principal, Estrada de Seringa e demais Trilhas Secundárias foram mapeadas com o uso de GPS de precisão. Também foram tomadas as larguras e identificados os fatores que ocasionaram maior impacto no decorrer das trilhas. Atualmente, o PZ possui 8.058m de trilhas abertas em seu interior. A Trilha Principal (5,52 m) se mostrou mais larga que a Estrada de Seringa (1,38 m) e demais Trilhas Secundárias (1,61 m). Os principais danos constatados na Trilha Principal foram árvores injuriadas por golpes ou marcações (24%) e lixo (22%). Na Estrada de Seringa e demais Trilhas Secundárias as maiores constatações foram de presença de lixo (52%) e de resíduos de experimentos de pesquisa (28%). Dessa forma, concluímos que uso público e as atividades de pesquisa impactam negativamente as trilhas do PZ no tocante aos resíduos deixados pelos usuários bem como daqueles provenientes de experimentos deixados <em>in loco</em> sem o adequado descarte.</p> 2020-08-24T15:23:54-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4059 Índices zootécnicos de bovinos leiteiros no Acre 2020-11-09T15:22:36-05:00 Fabiano Silveira Paiva fabiano.paiva@ifac.edu.br Williane Maria de Oliveira Martins williane.martins@ifac.edu.br <p>Na propriedade leiteira, os indicadores de desempenho zootécnico obtidos são fundamentais para a tomada de decisões do produtor de leite e tem influência direta na produção e no lucro. O trabalho teve por objetivo avaliar os índices zootécnicos de bovinos leiteiros no estado do Acre. A coleta de dados foi realizada em 240 propriedades rurais nos municípios de Rio Branco, Plácido de Castro, Acrelândia e Porto Acre. A coleta foi realizada por meio de um controle zootécnico realizado nas propriedades durante o período da pesquisa. O rebanho bovino leiteiro no estado do Acre possui em média 69 animais, distribuídos em vacas secas (média =15), vacas em lactação (média = 26), novilhas (média = 7), bezerros (machos + fêmeas = 19) e touros (média = 3). Os animais na sua maioria (52%) são mestiços (<em>Bos taurus</em> x <em>Bos indicus</em>) e sem padrão racial definido. Foram encontrados animais da raça Girolando (24%), Gir leiteiro (13%), Holandês (6%), Pardo Suíço (3%) e Guzerá leiteiro (1%). A idade ao primeiro parto foi em média 36 meses. A taxa de natalidade de 75%. Taxa de mortalidade de 2,5%. O intervalo de partos foi em média de 18 meses. Conclui-se que os bovinos leiteiros no estado do Acre apresentam baixo padrão genético para aptidão leiteira e a porcentagem de vacas em lactação é baixa. A idade ao primeiro parto e o intervalo entre partos estão acima do adequado para rebanhos mestiços a pasto. As taxas de natalidade e mortalidade estão dentro das recomendadas para criação de bovinos de leite.</p> 2020-08-24T15:05:15-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4063 Ajuste de equações hipsométricas, volumétricas, de biomassa e carbono do fuste de árvores utilizadas na arborização urbana no Parque da Maternidade em Rio Branco-Acre 2020-11-09T15:23:31-05:00 Victor Ygor de Melo Lima victorious1196@hotmail.com Ana Luísa Dias de Araújo victorious1196@hotmail.com Marco Antonio Amaro victorious1196@hotmail.com <p>Como importante componente biótico nas cidades, a arborização urbana proporciona diversos benefícios, constituindo fator determinante da salubridade ambiental. Entretanto, há poucos estudos que forneçam informações quantitativas sobre sua vegetação. Neste contexto, o trabalho tem como intuito ajustar equações para estimativa de altura, volume, biomassa e carbono do fuste das espécies arbóreas utilizadas na arborização urbana do Parque da Maternidade de Rio Branco – AC. Os dados foram coletados através de inventário sistemático e processados no software “Statistica v.10.0”. O ajuste foi realizado com base nos modelos de Soares et al. (2011), Schumacher e Hall (1933), Spurr (1952), Avery e Burkhart (1994). Como critérios de seleção adotou-se o coeficiente de determinação (R²), coeficiente de determinação ajustado (R²<sub>aj</sub> %), erro-padrão da estimativa (S<sub>y.x</sub>%) e análise gráfica dos resíduos (E%). A análise dos critérios indicou a equação (3) LnH = 0,821017 + (-0,038348 . LnDAP) como superior as demais para altura do fuste. Para o volume, a equação (1) Vol = 0,001462 . DAP<sup>1,248727</sup> . H<sup>0,901140</sup> apresentou valores estatísticos superiores as demais testadas. As equações provenientes do modelo de Spurr (1952) obtiveram desempenho superior na estimativa de biomassa e carbono do fuste das espécies presentes no Parque da Maternidade, sendo, portanto, as mais indicadas.</p> 2020-08-24T15:13:01-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4093 Percepção da sociedade de Rio Branco-Acre sobre as mudanças climáticas e os eventos extremos locais 2020-11-09T15:24:32-05:00 Sandra Aguiar de Oliveira Pires sandra.aopires@gmail.com Zenobio Abel Gouvêa Perelli da Gama e Silva zenobio.silva@ufac.br <p>O objetivo desse estudo foi gerar informações sobre a percepção ambiental dos moradores de Rio Branco, Acre, e assim contribuir para a elaboração de políticas públicas voltadas à conservação do meio ambiente local. Em termos específicos a pesquisa visou: (a) Identificar e analisar a relação entre o tema mudanças climáticas e os eventos extremos ocorridos na região a partir da percepção do público-alvo; (b) Caracterizar o nível de percepção quanto as características climáticas da região, bem como o modo como (ou se) associa as alterações sentidas do clima nos últimos anos; e (c) Verificar como o tema mudanças climáticas tem sido compreendido pelos moradores. Para tal, foram coletados dados a partir da aplicação de um questionário aplicado em 273 entrevistados, estruturado em vinte perguntas fechadas, sendo dez delas combinadas com perguntas abertas. Dos resultados gerados, pode-se inferir que: (a) No geral, a capacidade de discernir da população amostrada é bastante perspicaz; (b) Maior parte da população considera que eventos extremos estão ocorrendo com maior frequência na região e que esses eventos são atribuídos, também, às atividades antrópicas; e (c) A maioria dos entrevistados apontou que o clima local sofreu alterações desde a sua residência no município. Apesar de disporem dessa consciência ambiental, mais da metade dos entrevistados afirmou que não age para reduzir seu impacto no clima.</p> 2020-08-24T15:20:18-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4111 Aspectos gerenciais do setor industrial-madeireiro no município de Rio Branco – Acre, 2016 2020-11-09T15:25:27-05:00 Clara Grazielly Pereira Silvestre cgrazielly22@gmail.com Zenobio Abel Gouvêa Perelli da Gama e Silva zenobio.siva@gmail.com <p>Este estudo aborda o setor madeireiro na Amazônia. O seu objetiva foi analisar aspectos gerenciais na atividade de produção de madeira serrada nos municípios acreanos de Rio Branco e Porto Acre, em 2016. Os dados usados foram coletados em dez serrarias atuantes nesses municípios no ano de 2016. A metodologia abordou como os empresários madeireiros de Rio Branco conhecem, avaliam e estão preparados paras os tópicos, a saber, emergência de um paradigma da sustentabilidade, competição de produtos substitutos, reestruturando a indústria, mudanças econômicas e políticas, aumento da demanda de altos aglomerados populacionais e globalização do comércio e da produção. Dos resultados gerados: a) Todos os empresários preocupam-se com a sustentabilidade e, por isso, utilizam recurso florestal oriundo de manejo florestal; b) A metade dos entrevistados informou que o concreto compete com a madeira, assim como painéis de madeira competem com a madeira sólida; c) A totalidade dos empresários relatou que eles sentem os efeitos da crise econômica e que não são beneficiados com medidas políticas que minimizem tais efeitos e d) A metade dos donos de serrarias visitados respondeu que o aumento da população local e a elevação da renda não promoveu o aumento na demanda por madeira.</p> 2020-08-24T15:40:23-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4112 Eficácia anti-helmíntica do extrato etanólico das folhas da Momordica charantia L., sobre ovos e larvas de nematódeos gastrintestinais de ovinos no estado do Acre, Amazônia Ocidental 2020-11-09T15:26:20-05:00 Wallef Bandeira Rodrigues walefrodrigueswr@gmail.com Adriano Monteiro de Souza adrianosilva1315@gmail.com Joelton da Silva Barata joeltonbarata@outlook.com Cleb Rocha cleberveronez15@gmail.com Sara Lucena de Amorim sara.amorim@unir.br <p>Este estudo objetivou avaliar o efeito do extrato da <em>Momordica</em> <em>charantia </em>L., sobre ovos e larvas de nematódeos gastrintestinais de ovinos naturalmente infectados. Para os testes, foram utilizadas fezes de animais naturalmente infectados, que passaram por exames parasitológicos de OPG e coprocultura. Durante os testes, foram adicionadas as culturas fecais, doses de 380µg do extrato, para o grupo CL-50%, e 760µg, para o grupo CL-100%. O grupo controle, não recebeu tratamento, apenas água destilada. A análise fitoquímica evidenciou a presença de importantes compostos metabólicos, como fenóis, taninos e esteroides triterpenoides. O resultado da coprocultura, expressa eficácia do produto testado em 22,15%, para grupo CL-50%, e 34,72%, para o grupo CL-100%. A <em>Momordica</em> <em>charantia</em> L. exerce controle efetivo sobre infecções por nematódeos, mas deve ser testada em outras doses, buscando maior eficácia.</p> 2020-08-24T16:04:13-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4132 Estudo da epidemiologia da doença tuberculose no município de Tomé-Açu no estado do Pará entre os anos de 2008 a 2018 2020-11-09T15:27:43-05:00 Raquel Soares Casaes Nunes raquelcasaes@gmail.com Leando Souza do Nascimento lnascimentodesouza@gmail.com Maria Letícia Marques Moraes maria05leticia@gmail.com Rafaela Assumpção rafaelacasaes@gmail.com <p>O município de Tomé-Açu possui grande desenvolvimento de agricultura e é a principal atividade econômica, um dos mais importantes do Estado, por apresentar diversificações das atividades produtora. Em decorrência do desmatamento em áreas de floresta para agricultura e o crescimento da cidade, a população torna-se suscetível ao contato com os vetores de doenças infecto parasitarias. As abordagens geoespaciais, são utilizadas frequentemente para determinar a epidemiologia da região em questão..Em virtude das diminutas informações sobre a distribuição espacial da ocorrência de Doenças Infecciosas e Parasitárias (DIPs) na mesorregião do nordeste paraense e da possibilidade de novas informações que contribuam para a gestão ambiental dos municípios, busca-se através deste trabalho elaborar o mapeamento em série temporal dos últimos dez anos sobre os casos registrados no Município de Tomé-Açu. O presente estudo, trata-se de uma pesquisa quantitativa/explicativa, no sentido de que foi estudado a tuberculose distribuídas no município de Tomé-Açu ao longo de dez anos (2008 – 2018). Os dados foram obtidos do SINAN na secretária de saúde do município, para a obtenção dos locais de ocorrência das doenças. Após o procedimento de importação dos dados<em>, </em>foram aplicados o estimador de densidade kernel e índice de Moran. De acordo com os números de casos registrados, a Tuberculose é uma doença com maior incidência nos anos atuais. Conclui-se que devem ser intensificadas ações de vigilância e controle, para a saúde da população.</p> 2020-08-24T16:13:08-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4146 Política florestal no Acre 20 anos depois: desmatamento e VBP de produtos florestais selecionados 2020-11-09T15:28:45-05:00 Luiz Augusto Mesquita de Azevedo lamazeved@gmail.com Ecio Rodrigues oscipandiroba@gmail.com Jairo Salim Pinheiro de Lima jairo.lima@unesp.br Raul Vargas Torrico ravato@hotmail.com <p>Analisar o impacto da vigência da política estadual de florestas no acre a partir de 2001 sobre a dinâmica do desmatamento e a produção de madeira, açaí, borracha e castanha-da-Amazônia foi o propósito primordial desse artigo. Foram analisados os modelos estatísticos de incremento separados em três classes de períodos de 10 anos com ponto de partida em 1989, que abrange o período pré-política florestal até 1998. Duas décadas representam o período pós-política florestal: 1999-2008 e 2009-2018. a evolução do desmatamento e o valor bruto da produção de quatro produtos florestais de maior significado econômico para o acre identificou comportamentos diferenciados que podem ser associados à implementação da política florestal. Foi detectado somente uma queda de significado estatístico do desmatamento no período pós-política florestal e o aumento da produção de açaí, por outro lado, houve queda na produção de borracha, indicando que a política, a despeito de promover melhora na produção florestal não conseguiu evitar o colapso da produção de borracha ou ampliar a produção de castanha-da-Amazônia e de madeira em tora de acordo com tendência observada desde 1989.</p> 2020-08-24T16:23:54-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4200 Estudo físico-químico e fitoquímico do extrato hidroetanólico da flor de Salvertia convallariodora A. St. –Hil. (Vochysiaceae) 2020-11-09T15:30:02-05:00 Antonio Carlos Pereira de Menezes Filho astronomoamadorgoias@gmail.com Mariana Santos Chaves marianachaves.santos@gmail.com Carlos Frederico de Souza Castro carlosfsscastro@gmail.com <p>O trabalho teve por objetivo avaliar o extrato floral hidroetanólico 70% de <em>Salvertia convallariodora</em>. As flores foram coletadas em um Cerrado ripário em Rio Verde, Goiás, Brasil. O extrato foi produzido por maceração em solução hidroetanólica 70%. Foram realizadas análises físico-químicas para características organolépticas, rendimento, massa, teor de umidade, pH, sólidos totais, índice de refração, densidade, flavonoides totais, compostos fenólicos totais, varredura em espectrofotometria UV-<em>Vis</em>, fitoquímica, teste de hemólise. Foram obtidos os seguintes resultados, organoléptica (amarelo-citrino, límpido e aromático), rendimento 9,18%, massa seca 16,85% teor de umidade 83,14%, pH 4,56, sólidos totais 2,63%, índice de refração 1,2613 n<sub>D</sub>, densidade relativa 0,853 g mL<sup>-1</sup>, flavonoides de 355,15 e compostos fenólicos totais de 135,48 mg EAG 100 g<sup>-1</sup>, comprimento de ondas crítico para UVC, vários compostos fitoquímicos e atividade hemolítica entre 92,11 a 71,09%. O extrato floral hidroetanólico de <em>S. convallariodora</em> demonstrou ser rico em compostos fitoquímicos, fotoprotetor e hemolítico.</p> 2020-08-24T16:36:53-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4218 Cálculo de área de preservação permanente em faixa marginal ao curso de água, utilizando diferentes bases de dados Geoespaciais 2020-11-09T15:30:52-05:00 Cristiane dos Santos Miranda csmmsc@outlook.com Symone Maria de Melo Figueiredo symone_ac@yahoo.com.br <p>Considerando que as Áreas de Preservação Permanente (APP) são imprescindíveis para a proteção da fauna e da flora de cada região, e que a legislação brasileira contém instrumentos para assegurar essa conservação, como o Cadastro Ambiental Rural (CAR) criado pela Lei nº 12.651/2012, o presente estudo teve por objetivo avaliar a delimitação da APP às margens de um curso de água em uma área localizada em Rio Branco-AC, fazendo uso dos arquivos vetoriais do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), do ano de 2017, e Zoneamento Ecológico Econômico do Acre (ZEE), do ano de 2016, além do levantamento de campo, visando comparação com a base disponibilizada no SiCAR. Como principais resultados foram obtidos mapas da APP de mata ciliar delimitadas de acordo com estas bases e suas sobreposições, permitindo sua análise comparativa com o levantamento em campo. Assim, podemos concluir que nenhuma das bases, nem mesmo a do SiCAR, se aproxima dos resultados obtidos com a verdade de campo, no entanto, a base do ZEE se mostrou mais satisfatória para a delimitação da APP. Em relação as áreas não mapeadas ou regiões que ainda não possuem Zoneamento Ecológico Econômico, pode-se indicar o uso da carta topográfica do Banco de dados Geográficos do Exército.</p> 2020-08-24T16:43:16-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4229 Variabilidade de elementos meteorológicos no município de Tarauacá, Acre, intervalo 1994 - 2019 2020-11-09T15:31:51-05:00 Jorge Washington de Sousa jwsce57@gmail.com <p>Este trabalho teve o objetivo de caracterizar a variabilidade dos elementos meteorológicos, precipitação, insolação, temperaturas do ar (máxima, mínima e média), umidade do ar e evaporação, baseando-se em dados da estação meteorológica convencional de Tarauacá, Acre, período 1994-2019. Foi realizada uma análise para identificar eventuais tendências nos dados de precipitação e temperatura, através de regressão linear e do teste de Mann-Kendall. A localidade avaliada possui a média anual de precipitações de 2.288 mm, sendo o ano de 2010 o mais seco (1.642 mm) e 2015 o mais chuvoso da série (2.973mm). O mês de julho foi o mais seco (46 mm) e o de março o mais chuvoso (340 mm). As menores&nbsp; temperaturas médias ao longo do ano, ocorreram em julho, de 24,9 <sup>o</sup>C, enquanto as maiores médias, foram registradas&nbsp; em outubro, de 26,6 <sup>o</sup>C. A série de dados não apresentou tendências de aumento ou redução da precipitação. Todavia, evidenciou uma tendência ao aumento da temperatura.</p> 2020-08-24T16:49:30-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4230 Variabilidade de elementos meteorológicos no município de Cruzeiro do Sul, Acre, intervalo 1993-2014 2020-11-09T15:32:47-05:00 Jorge Washington de Sousa jwsce57@gmail.com <p>O presente trabalho teve o objetivo de analisar a variabilidade dos elementos meteorológicos, precipitação, temperaturas do ar (máxima, mínima e média), umidade do ar, insolação e evaporação, para o município de Cruzeiro do Sul, Acre, baseando-se em dados da estação meteorológica convencional do Instituto Nacional de Meteorologia-INMET, intervalo 1993-2014. Foi realizada uma análise para identificar possíveis tendências nos dados de precipitação e temperatura, utilizando-se regressão linear e o teste de Mann-Kendall. A localidade avaliada possui precipitação média anual de 2.137 mm, sendo o ano de 1997 o mais seco (1.639 mm), e 2014, o mais chuvoso (2.686mm). O mês de julho foi o mais seco (71 mm), e o de março o mais chuvoso (274 mm). Em julho também ocorreram as menores temperaturas médias ao longo do ano, de 24,8 <sup>o</sup>C, enquanto em outubro, foram registradas as maiores temperaturas médias, de 26,0 <sup>o</sup>C. A série de dados não evidenciou tendências significativas de aumento ou redução da precipitação e temperatura.</p> 2020-08-24T16:54:29-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4231 Características climáticas do município de Rio Branco, Acre, período de 1990-2019 2020-11-09T15:33:50-05:00 Jorge Washington de Sousa jwsce57@gmail.com <p>Este trabalho objetivou caracterizar a climatologia do município de Rio Branco, Acre, baseando-se em dados de estação meteorológica convencional do Instituto Nacional de Meteorologia-INMET, intervalo 1990-2019. Foi realizada uma análise para identificar eventuais tendências nos dados de precipitação e temperatura, através de regressão linear e do teste recomendado pela Organização Meteorológica Mundial, (Mann-Kendall). A localidade avaliada possui a média anual de precipitações de 2.022 mm, sendo o ano de 2011 o mais seco (1.619 mm) e 2019 o mais chuvoso da série (2.794mm). O mês de julho foi o mais seco (29 mm) e o de fevereiro o mais chuvoso (292 mm). As menores&nbsp; temperaturas médias ao longo do ano, ocorreram em julho, de 23,8 <sup>o</sup>C, e com as maiores médias, registradas&nbsp; em outubro, de 26,4 <sup>o</sup>C. A série de dados não evidenciou tendência significativa de aumento ou redução da precipitação ou de temperatura.</p> 2020-08-24T16:58:37-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4233 Avaliação da distribuição espacial da dengue no município de Tomé-Açu/PA 2020-11-09T15:34:56-05:00 Raquel Soares Casaes Nunes raquelcasaes@gmail.com Leandro Souza do Nascimento lnascimentodesouza@gmail.com Maria Letícia Marques Moraes maria05leticia@gmail.com Rafaela Assumpção sosoarinha@gmail.com <p>O município de Tomé-Açu possui grande desenvolvimento de agricultura. É um dos mais importantes do Estado. Em decorrência do desmatamento para agricultura e o crescimento da cidade, a população torna-se suscetível ao contato com os vetores de doenças infecciosas (DIs). As abordagens geoespaciais são utilizadas frequentemente para determinar a epidemiologia de uma região. O presente estudo trata-se de uma pesquisa quantitativa/explicativa, no sentido de que foi estudado a Dengue distribuída em Tomé-Açu ao longo de dez anos (2008 –2018). Os dados foram obtidos da secretária de saúde do município, para a obtenção dos locais de ocorrência das doenças. Após o procedimento de importação dos dados, foram aplicados o estimador de densidade kernel e índice de Moran. Após, foi gerado o MAPA de densidade para o período que foi projetado no formato <em>shapefile</em>, sendo inseridos no software de sistemas de informações geográficas (SIG) ArcMap 10.5, onde foi construído o mapa. Após a obtenção dos dados, observou-se que o uso e ocupação do solo é um fator predominante para a epidemia de doenças infecciosas na região, devido a presença de ocupação humana nas proximidades de áreas recém desflorestadas. Conclui-se que, a metodologia utilizada pode contribuir para ações de vigilância e controle para a saúde da população.</p> 2020-08-24T00:00:00-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4235 Microbiological analysis of half-cured Minas cheese sold informally in the city of Rio Branco, AC 2020-11-09T15:52:45-05:00 Danielle Saldanha de Souza Araújo dani-saldanha@live.com Cássio Toledo Messias ctoledomessias@gmail.com Patrícia Gelli Feres de Marchi patriciamarchi.ufac@gmail.com Bruna Laurindo Rosa brunarosa0609@live.com Carlos Augusto dos Santos Souza augusto.anato@gmail.com <p>O queijo minas meia cura possui sabor suave e textura agradável, tendo grande aceitação entre os consumidores da cidade de Rio Branco. Produzido a partir de leite cru e com o tempo de cura indeterminado, não atende o tempo mínimo de cura na produção de queijos advindos de leite cru estabelecido na legislação vigente. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar a qualidade microbiológica de 20 amostras de queijos minas meia cura comercializados na cidade de Rio Branco, AC. As amostras foram processadas no laboratório de microbiologia da Unidade de Tecnologia de Alimentos – UTAL, sendo fracionadas, diluídas e inoculadas em placas de Petri para contagem padrão em ágar, para estimar a quantidade de UFC/g de microrganismos facultativos e mesófilos viáveis. Para determinar o NMP/g dos coliformes totais e termotolerantes foram realizados o teste de diluições múltiplas, como teste presuntivo e os testes confirmativos em caldo Ágar Verde Brilhante Bile para coliformes totais e caldo EC para coliformes termotolerantes. Aonde 70% das amostras foram consideradas impróprias para o consumo, servindo de alerta para a implantação das boas práticas de fabricação na fabricação e regularização da sua venda, visto que a ausência de controle da cadeia produtiva representa um risco à saúde pública.</p> 2020-08-24T17:39:18-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4243 Desempenho agronômico de cultivares de beterraba sob coberturas de solo e épocas de cultivo 2020-11-09T15:38:00-05:00 Luís Gustavo de Souza e Souza gustavo_souza_fj@hotmail.com Regina Lúcia Felix Ferreira reginalff@yahoo.com.br Sebastião Elviro de Araújo Neto selviro2000@yahoo.com.br Thays Lemos Uchôa thays_uchoa@yahoo.com.br Nilciléia Mendes da Silva nilcileia-ac@hotmail.com Wagner de Moura Francisco wagnerdemoura@outlook.com Geazí Penha Pinto geazi.pinto@ifac.edu.br <p>Pesquisar culturas agrícolas não cultivadas tradicionalmente no Acre, é importante para a estimular a diversificação da produção na agricultura familiar e orgânica. Diante disso, o objetivo desse trabalho foi avaliar o desempenho de cultivares de beterraba em sistema orgânico, sob diferentes coberturas de solo e épocas de plantio em Rio Branco, Acre. Para avaliação foram instalados três experimentos em diferentes épocas do ano. Todos instalados em delineamento em blocos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas 3 x 7. As parcelas foram formadas por três tipos de cobertura: cobertura morta, mulching e solo nú. E nas subparcelas foram dispostas cultivares de beterraba: Chata do Egito; Early Wonder Tall Top; Itapuã 202; Maravilha; Katrina; Vermelha comprida; e o Hibrido Merlot. No primeiro experimento não houve produção comercial. No experimento 2 o uso de cobertura no solo possibilitou maior produtividade comercial orgânica (5.316,43 kg ha<sup>-1</sup>). E no terceiro cultivo não houve produção comercial, não havendo também produção total no solo coberto com mulching. Assim não há produtividade comercial adequada de nenhuma cultivar de beterraba nos períodos avaliados. A cobertura morta eleva a massa e a produtividade de beterraba nas duas épocas de produção.</p> 2020-08-24T18:11:42-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4246 Os Aspectos econômicos da implantação e condução de povoamentos de Eucalyptus spp., no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo Florestal (MDL-F) no estado do Acre, 2013 2020-11-09T15:39:07-05:00 Mário Sérgio Silva de Carvalho Filho m.sergioflorestal@hotmail.com Zenobio Abel Gouvêa Perelli da Gama e Silva zenobio.silva@ufac.br <p>Este estudo objetivou gerar informações econômicas sobre reflorestamentos, com o gênero <em>Eucalyptus</em>, implantado para recuperar pastagens degradadas no estado do Acre. Para tal, foram coletados dados, em 2012, sobre os custos com esses povoamentos e os preços das Reduções Certificadas de Emissões de carbono (RCEs) e da madeira como biomassa. O método adotado analisou a viabilidade dos reflorestamentos usando os conceitos de Valor Presente Líquido (VPL), Ponto de Nivelamento (PN) e Valor Esperado da Terra (VET), calculados nas taxas de juros de 6, 8, 10, 12 e 20% ao ano. Os resultados obtidos permitiram inferir que: os custos obtidos com esses plantios são maiores que os encontrados em outros estudos; o VPL, quando gerando RCEs, se mostrou viável em todas as taxas adotadas, exceto na de 20% a.a. e, quando gerando RCEs, ele foi inviável em todas as taxas adotadas; A área mínima do reflorestamento, no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), é de 40,7 ha, na taxa de 6% a.a.; A TIR do projeto é de 12,5 e 18% a.a. computando ou não o fator terra, respectivamente e, a terra pode ter um valor máximo de R$ 5.192,17/ha para que o projeto seja remunerado na taxa de 12% ao ano.</p> 2020-08-24T18:19:48-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4247 Caracterização ambiental do projeto de assentamento dirigido Humaitá, Acre 2020-11-09T15:40:02-05:00 Bianca Guerreiro Lima biancaflorestal14@gmail.com Symone Maria de Melo Figueiredo symone_ac@yahoo.com.br <p>Com a falência dos seringais, o processo de ocupação das terras acreanas se deu através de tensões entre os investidores do centro-sul e os seringueiros. Com essa tensão aflorando cada vez mais o Governo Federal juntamente ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) deram início a implantação dos projetos de assentamento dirigido (PAD). O presente estudo teve como objetivo fazer uma caracterização ambiental utilizando as bases de dados do Zoneamento Ecológico e Econômico do Acre (ZEE), no ano de 2016, e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano de 2019, e classificação do uso do solo pelo método da máxima verossimilhança nos anos de 2013, 2015, 2017 e 2019, do Projeto de Assentamento Dirigido (PAD) Humaitá localizado no município de Porto Acre no Estado do Acre.&nbsp; Entre os resultados da caracterização ambiental foram obtidos mapas de vegetação, pedologia, hidrografia e vias de acesso da área do PAD, onde mostrou que em quase 70% a área encontra-se desmatada. O mapeamento do uso do solo de 2013 a 2019 mostrou que o desmatamento ocorreu nos fragmentos florestais que se encontram próximos ao Rio Acre.</p> 2020-08-24T18:24:44-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4249 Cultivo de alface utilizando substratos alternativos 2020-11-09T15:41:08-05:00 Matheus Holanda da Silva matheusac7@gmail.com Marilene Santos de Lima marilenelima@yahoo.com.br Almecina Balbino Ferreira almecina@yahoo.com.br Rutilene Barbosa Souza matheusac7@gmail.com Matheus Matos do Nascimento matheusxmattos@gmail.com <p>A alface é a principal hortaliça folhosa cultivada no Brasil, por apresentar boa produtividade por área, além de ser uma opção para pequenos produtores com espaços e áreas agricultáveis reduzidas, por ser uma cultura de ciclo curto. Na produção de mudas é fundamental que o meio forneça nutrientes para produção de mudas fortes e resistentes. Para tanto, resíduos orgânicos inutilizáveis podem vir a ser alternativa para este fim, pois apresentam características que podem ser exploradas. O objetivo da presente pesquisa foi avaliar o crescimento de alface com o uso de substratos alternativos, oriundos de resíduos orgânicos produzidos na região amazônica. Das características avaliadas foram: altura, massas de raiz e parte área, diâmetro do colo, número de folhas, massa seca foliar, massa seca da raiz e índice de qualidade de desenvolvimento nos diferentes substratos. O teste foi realizado na área experimental da Universidade Federal do Acre - UFAC, Campus Rio Branco. O teste foi desenvolvido no período de abril a julho de 2018, em casa de vegetação. A variedade utilizada foi a Elba (Topseed®). O delineamento experimental foi inteiramente casualisado com 4 tratamentos e 10 repetições. Os tratamentos foram constituídos pelos diferentes substratos: casca de castanha-do-Brasil moída, esterco bovino curtido, substrato de bagaço de cana-de-açúcar e substrato comercial. Dentre os substratos alternativos, o substrato comercial e o substrato de casca de castanha-do-Brasil são os mais indicados para a produção de alface, pois foram os que obtiveram melhores resultados e com boa qualidade comercial.</p> 2020-08-24T18:33:15-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4250 Políticas de marketing na comercialização de portas e janelas no mercado de Rio Branco, 2010-2011 2020-11-09T15:42:02-05:00 Camila Moraes Cavalcante Ribeiro camilaribeiro12@live.com Rafaella Rodrigues Villaverde rrv.villa@gmail.com Zenobio Abel Gouvêa Perelli da Gama e Silva zenobio.silva@ufac.br <p>O objetivo desse estudo foi identificar e analisar as estratégias de marketing adotados pelas lojas de portas e janelas de madeiras, atuantes no município de Rio Branco, no período 2010-11. Para tal, foram coletados dados em 16 lojas de portas e janelas funcionando nesse município em 2011. Pelo método adotado, foram avaliados os seguintes aspectos ligados à comercialização desses produtos: (a) caracterização da firma; (b) barreiras enfrentadas, pelas firmas, na comercialização dos seus produtos; (c) planejamento da comercialização; (d) reações das firmas diante das concorrências e (e) análise do Composto de Marketing (4p’s); (f) análise da perspectiva do consumidor. Os resultados gerados permitiram inferir que: (a) As firmas não adotam estratégia de marketing para estabelecer seu nome fantasia; (b) A maioria das firmas considera custos e lucros para determinar preços; (c) A maioria das marcenarias tem sempre o produto a pronta entrega, e fornece frete grátis; (d) Metade das firmas usa rádio ou televisão como forma de propaganda; (e) Grande parte das firmas trabalha com descontos em compra à vista, e uma minoria promove vendas via brindes e feiras; (f) Pouco mais da metade das lojas tem uma lista de clientes, porém raramente a usam para visitar os clientes.</p> 2020-08-24T18:43:15-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4251 Características florísticas e densidade do banco de sementes do solo de uma floresta aberta com bambu no leste do Acre 2020-11-09T15:42:55-05:00 Ítalo Felipe Nogueira Ribeiro italo080@live.com Bianca Guerreiro Lima biancaflorestal14@gmail.com Evandro José Linhares Ferreira evandroferreira@hotmail.com <p>Avaliaram-se os aspectos florísticos e a densidade de plântulas germinadas em amostras do banco de sementes do solo colhidas em períodos seco e chuvoso em uma Floresta Aberta com bambu da Fazenda Experimental Catuaba, em Senador Guiomard, Acre. As amostras (n=40), com 625 cm² cada e distanciadas 20 m entre si, foram colhidas em uma parcela de 400 m x 20 m em agosto/18 e janeiro/2020. As amostras foram germinadas em bandejas plásticas regadas em dias alternados em casa de vegetação. Na determinação da densidade das plântulas germinadas usou-se a razão entre o total de plântulas germinadas e a somatória da área das bandejas usadas no experimento. Para determinar diferenças entre as amostras colhidas nos dois períodos, foi calculado o índice de diversidade de Shannon-Wiener (H’) e o de similaridade de Sorensen (DSC). O resultado indicou que tanto a quantidade como a densidade de plântulas germinadas foi similar nas amostras colhidas nos dois períodos. Maior índice de diversidade foi verificado nas amostras do período chuvoso, que também mostraram maior quantidade de famílias e espécies. Dentre as espécies identificadas predominaram aquelas de florestas secundárias, corroborando resultados de outros estudos.</p> 2020-08-24T18:59:22-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4252 Irrigação suplementar em feijões crioulos 2020-11-09T15:43:54-05:00 Franscisco Gean dos Santos Mota geansm.agro@gmail.com Leonardo Paula de Souza leonardo.paula@ufac.br Maila Pereira de Almeida mailapereiradealmeida@gmail.com <p>O experimento foi realizado durante os meses de julho a outubro de 2019 na área experimental agrícola da Universidade Federal do Acre, campus de Rio Branco. Utilizou-se três variedades de feijões-caupi “crioulos” (Baiano, Caupi-preto e Costela-de-vaca), irrigados por gotejamento. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, em esquema de parcelas subdivididas com 4 tratamentos e 5 repetições. Os tratamentos corresponderam ao início da irrigação quando a tensão da água no solo atingiu (T1: 15 kPa; T2: 25 kPa; T3: 40 kPa e T4: 60 kPa). Os dados foram submetidos ao teste F para análise de variância e na constatação de interação significativa entre as fontes de variação, realizou-se o teste de Tukey a 5% de significância para comparação entre médias, o efeito da tensão da água no solo na produtividade das variedades dos feijoeiros foi demonstrado por equações de regressão. Para obter as maiores produtividades, a irrigação deve ser iniciada quando a tensão da água no solo atingir 15 kPa (Costela-de-vaca), 33 kPa (Caupi-preto) e 38 kPa (Baiano), considerando a eficiência do uso da água são recomendadas as tensões da água no solo para início da irrigação de 15 kPa (Costela-de-vaca) 25 kPa (Caupi-preto) e 45 kPa (Baiano).</p> 2020-08-24T19:08:00-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3712 Relato de experiência: atividade lúdica sobre os processos de propagação de calor 2020-11-09T15:44:44-05:00 Ricardo Henrique Barrozo Viana Kettenhuber rickkettenhuber@gmail.com Bianca Martins Santos biancafaperj@gmail.com <p class="Default" style="text-align: justify; tab-stops: 145.9pt;">A física é considerada por muitos estudantes como uma matéria difícil. Por isso, é necessário que o professor motive o aprendizado dos estudantes, utilizando metodologias alternativas. Dentro dessa concepção, o trabalho utiliza uma atividade lúdica para o ensino médio sobre os processos de propagação de calor, com objetivo de facilitar os processos de ensino e de aprendizagem. O trabalho foi desenvolvido por meio de uma pesquisa qualitativa, em duas turmas do segundo ano de uma escola pública de Rondônia. O conteúdo foi apresentado, em seguida foi aplicado o jogo semelhante a um quebra-cabeça, e por último um questionário foi aplicado. Os resultados mostram que alguns alunos confundiram os processos de irradiação e convecção durante o jogo, porém conseguiram finalizar a montagem. Os alunos participaram efetivamente. Além disso, foi possível perceber que o trabalho com jogos estimulou o interesse dos discentes, podendo ser caracterizada como uma ferramenta útil nas aulas de física.</p> 2020-08-24T19:14:37-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3730 Jogo “Cara a Cara com os Cientistas”: um recurso didático para o ensino de física moderna 2020-11-09T15:45:38-05:00 Joisilany Santos dos Reis joisy.santos15@hotmail.com Victoria Cristina Morais de Oliveira victoriacristina89@hotmail.com Erik Rocha de Oliveira physics.erik@outlook.com Bianca Martins Santos biancafaperj@gmail.com Fernando Cezar Rivarola Ramirez nando.ramirez@hotmail.com <p>O presente trabalho propõe a utilização do jogo de tabuleiro “Cara a Cara com os Cientistas” para o ensino de Física Moderna e Contemporânea no Ensino Médio (EM). Desenvolvido por bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) do curso de Licenciatura em Física da Universidade Federal do Acre (UFAC), a atividade foi aplicada à 24 estudantes do terceiro ano de uma escola da rede pública em Rio Branco/AC de ensino integral. Os resultados referentes a aplicação do questionário e a observação a aula proposta mostram que tal abordagem é promissora, de modo a despertar o interesse do aluno para o estudo de física moderna.</p> 2020-08-24T19:25:01-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4241 Quest das ligações químicas: um jogo didático para o ensino de química 2020-11-09T15:47:32-05:00 Edilene de Melo Pereira edilene.melo.pereira@outlook.com Denaria da Silva Silva denaria12@gmail.com Ester Souza da Costa ester.sc18@hotmail.com Adriano Antonio Silva adriano_a_silva@hotmail.com Shirani Kaori Haraguchi skharaguchi@gmail.com <p>Estudar Ciências Biológicas e da Natureza, sobretudo a Química, normalmente é visto, pela grande maioria dos estudantes, como algo enfadonho, desestimulante ou muito difícil, devido ao método de ensino baseado na transmissão e recepção de conhecimentos, fórmulas e equações. Atualmente, com o empenho de professores que são desafiados a melhorarem essa visão dos estudantes sobre suas disciplinas, estes buscam maneiras inovadoras de chamarem atenção dos estudantes para o estudo destas Ciências. Neste contexto, este trabalho relata a construção e utilização do jogo de tabuleiro intitulado Quest das ligações químicas que tem o objetivo de revisar e reforçar o conteúdo de ligações químicas para estudantes do primeiro ano do ensino médio. Neste estudo, utilizou-se metodologia qualitativa da pesquisa-ação. Como resultados da aplicação do jogo, observa-se que recursos didático-pedagógicos desse tipo, possibilita aos estudantes uma construção mais sólida do conhecimento, auxiliando-os a superar as dificuldades das abstrações do referencial teórico, além de contribuir para o desenvolvimento socioemocional necessário para um ensino integral, ao mesmo tempo em que propiciou às licenciadas do curso a vivência da realidade escolar, futuro campo de atuação das mesmas.</p> 2020-08-24T19:35:55-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/3737 O uso de Cannabis sativa para fins terapêuticos no Brasil: uma revisão de literatura 2020-11-09T15:48:33-05:00 Lindicacia Soares Vieira anaeformiga@gmail.com Ana Emília Formiga Marques anaemiliaformiga@hotmail.com Vagner Alexandre de Sousa anaemiliaformiga@hotmail.com <p>O debate sobre a utilização de <em>Cannabis sativa </em>para fins terapêuticos tem mobilizado a comunidade científica a levantar novos apontamentos sobre os impactos relacionados ao seu uso.&nbsp; Este trabalho objetivou investigar como as produções científicas vem discutindo a introdução da <em>Cannabis sativa </em>para fins terapêuticos no Brasil. A metodologia compreendeu um estudo de revisão integrativa de artigos publicados sobre a utilização da <em>Cannabis</em> <em>sativa</em> e seus derivados. A busca pelos estudos foi realizada no portal da Biblioteca Virtual em Saúde, com filtro para os principais bancos de dados, como SciELO, LILACS e MEDLINE. Nos resultados foram identificadas duas vertentes de estudos sobre a utilização da planta. Primeiramente, uma crescente discussão social, motivada pela relação entre o potencial terapêutico e as concepções histórica, sociais, culturais e criminais associadas ao uso. E uma segunda ancorada nas intervenções práticas dos compostos canabinoides como alternativa terapêutica. Contudo, mesmo considerando que as pesquisas sobre o potencial terapêutico da Cannabis mostrem-se promissoras, novos estudos são necessários, no sentido de preencher as lacunas ainda prevalentes sobre os efeitos benéficos e adversos associados ao seu uso e de seus derivados.</p> 2020-08-24T19:46:23-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4069 Aspectos epidemiológicos de Aelurostrongylus abstrusus no Brasil 2020-11-09T15:49:23-05:00 Wilison da Silva Lima wilisonsilvalima@gmail.com Ana Caroline Lima da Cruz carol.cruz950@gmail.com Shuellen Jhenyfer José Samasquini shujhenyfer@gmail.com Millena do Nascimento Mesquita mesquitamillena@hotmail.com Luciana dos Santos Medeiros lusmedeiros@yahoo.com.br Acácio Duarte Pacheco pachecovet85@gmail.com Soraia Figueiredo de Souza soraiasouza@yahoo.com <p><em>Aelurostrongylus abstrusus </em>(<em>A. abstrusus</em>) é o parasita pulmonar mais comum de felinos domésticos e silvestres. Os animais são infectados através da ingestão de hospedeiros intermediários, como moluscos gastrópodes ou hospedeiros paratênicos, como roedores, anfíbios e pássaros. Nos últimos anos, o crescente número de casos tem despertado interesse na comunidade científica e ganhado importância na prática veterinária. No Brasil ainda são escassos os estudos epidemiológicos desta parasitose, diante disso, o objetivo dessa revisão de literatura foi de demonstrar a situação epidemiológica atual da doença no país.</p> <p>&nbsp;</p> 2020-08-24T19:53:55-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis https://periodicos.ufac.br/index.php/SciNat/article/view/4130 Aelurostrongilose felina – uma parasitose pulmonar subdiagnosticada 2020-11-09T15:50:10-05:00 Wilison da Silva Lima wilisonsilvalima@gmail.com Ana Caroline Lima da Cruz carol.cruz950@gmail.com Barbara Perdome Machado Nunes bperdome@hotmail.com Deborah de Oliveira Soares deborahdeoliveirasoares@gmail.com Patrícia Fernandes Nunes da Silva Malavazi patriciafnuness@yahoo.com.br Acácio Duarte Pacheco pachecovet85@gmail.com Soraia Figueiredo de Souza soraiasouza@yahoo.com <p>A aelurostrongilose é uma importante parasitose pulmonar que acomete felinos domésticos e silvestres, cujo agente etiológico é o nematódeo <em>Aelurostrongylus abstrusus</em>. O quadro clínico pode variar de subclínico à tosse grave e angústia respiratória. A infecção por <em>A. abstrusus</em> vem considerada subdiagnosticada e negligenciada pelos médicos veterinários no mundo, em razão de poucos relatos nos últimos anos. Portanto, o objetivo desta revisão foi reunir dados sobre o conhecimento da etiologia, epidemiologia, aspectos clínicos, métodos diagnósticos e tratamentos atualmente disponíveis para a aelurostrongilose felina, bem como alertar sobre o impacto da doença na saúde animal.</p> 2020-08-24T20:01:33-05:00 Copyright (c) 2020 Scientia Naturalis